quarta-feira, 5 de março de 2014

D&D Next ou D&D 5.0

No começo não havia nada, e então surgiu o D&D.


Aí fizeram o 3.5 e ficou legal pacas. Mas Asmodeus tava esperto e criou o 4.0 pra zoar o plantão e bagunçar tudo aquilo que a gente já tinha como certo sobre D&D e introduzir o jogo com cartinhas e poderzinhos e não foi legal.

E agora a Wizards está lançando o D&D Next.

Ano passado eles fizeram um playtest super intenso com várias atualizações e diversas revisões. Entra manobras, saem manobras, tira 100% as perícias, coloca de volta, muda isso, muda aquilo...
E no final das contas a ultima revisão do playtest que saiu ficou bem legal. Não tem explicação de metade das regras e das coisas que eles colocaram na ficha, a ficha vai gastar toda a sua tinta preta da impressora, mas a criação de personagem ficou super tranquila, inclusive criar a história do personagem ficou mais fácil até pra quem é pouco criativo. (Eu queria saber o que uma pessoa pouco criativa faz numa mesa de RPG, deve ser bem chato pra ela, né?!)

Você primeiro compra seus atributos. Eles têm uma tabelinha para compra de pontos  que facilita o processo. Aí você escolhe sua raça. Sua classe. Seu background. Sim, tem uma lista com possíveis backgrounds pré-fabricados, as perícias que eles oferecem, as características especiais e uma visão do que seria aquele background e o que você fazia no seu passado. Vem até com o kit pronto de equipamentos para alguém com aquele background. Você preenche as lacunas na sua ficha, escolhe quais serão suas áreas de conhecimento e voilá! Seu personagem está pronto e jogável.

Você calcula muito pouca coisa nessa nova versão do D&D. Não existe mais aquela tabela GIGANTE de perícias. Não existe mais aquele monte de campos a se preencher com seus testes de resistência, com seus 38 tipos de ataques. Não existe mais aquela lista interminável de talentos do guerreiro. Aquela lista interminável de magias do mago, do clérigo, do druida.

Agora você tem 11 areas de conhecimento pra escolher 2, o que garante um bônus de +10 na sua rolagem, somando ainda modificador de inteligência. Sim, +10. É bastante mesmo! E você tem algumas perícias (tradução livre, não saiu nada nem oficial nem em português mesmo) , por exemplo Atletismo (Força),  Blefe (Carisma),  Acrobacia (Destreza), Medicina (Sabedoria), Procurar (Inteligência).
Essas perícias, no personagem teste que montei (um ladino de primeiro nível) se resumiram em um total de 7 para um personagem. 7 perícias em um ladino. Mestres e jogadores lendo isso certamente estão com a cara que eu fiquei quando terminei de montar a ficha. Mal acreditei. Levei meia hora porque não sabia onde ficava nada e porque fiquei decidindo qual raça usar, mas acabei simplificando e pegando humano. Mesmo porque os bônus de atributo de humanos são bem legais.

Mas o Next simplificou a criação de ficha, simplificou as rolagens e reduziu as oportunidades dos jogadores mais advogados-de-regras de criarem combos infinitos que reduzem a diversão dos outros jogadores a níveis devastadoramente próximos do zero. E fez com que todo mundo, por menos que entenda da mecânica, possa ter um personagem razoável, com um empurrãozinho do mestre, apenas por saber contar histórias e entender um pouco de enredo, já que essa história de backgrounds ajuda você a ter habilidades pertinentes àquilo que você vai interpretar.

E o capítulo que eles reservaram para guiar o mestre nessa mudança toda tem muita informação boa sobre as regras, sobre como você lidar com determinadas cenas, aconselha inclusive você a premiar boa interpretação fora de combate com sucesso, pra não acontecer como no exemplo abaixo:

“... e então eu lhes digo, meus senhores, que Pelor e sua luz se derramarão sobre nós, inflamando nossos corações para a batalha e a vitória será certa” disse João, interpretando seu clérigo. Todos os outros jogadores levantaram e apludiram em pé a performance. João então rolou o dado para o teste de carisma para saber se seu clérigo influenciou positivamente o pequeno exército de camponeses para quem ele estava discursando e saiu 1, frustrando a excelente interpretação.

O capítulo do mestre também sugere como montar encontros e quantos inimigos de cada nível usar com cálculos simples, fazendo com que o ato de escolher determinados inimigos seja muito mais descomplicado e prático e você já saiba de antemão o que os personagens receberão como tesouro e quanta experiência eles ganharão com o combate.

Estes pequenos detalhes aproximam a narração do que ela deveria ser: mais intuitiva e mais dinâmica, menos livro e mais imaginação, menos perda de tempo e mais horas produtivas de jogo. Vendo este playtest eu acredito sinceramente que a Wizards of the Coast está prestes a aproximar o D&D novamente de suas raízes, simplificando o processo e inovando no modo de enxergarmos o D&D. Antes o que era uma imensa soma de números e cálculos extensos hoje se mostra matemáticas simples, jogo balanceado e chances iguais de se divertir com qualquer personagem que se faça.


 Pati.

Confira a fixa como ficou aqui Martin


11 Blá blá blá!:

Gilson Rocha disse...

Texto bem escrito e que ativou a curiosidade pelo novo D&D.

Gilson

Rogério Monge da Dungeon disse...

"Aparentavelmente" parece que a 5ª edição pegou o que de melhor havia nas outras edições e conseguiu implementar com alguma coerência - como no caso da interpretação vs rolagem de dados .
Bem, nos resta praticar o lema do Pão-Durismo Otodoxo "Obter o máximo possível com o mínimo de gastos" e adquirir os novos livros.

Odin disse...

Muito bom!

Dragões do sol Negro disse...

Que bom que gostaram! O jogo Ainda não saiu mas realmente acho que será uma bela versão do d&d. Aguardem os novos posts da Pati que promete novidades...

salvaterra disse...

Vc obtém sucesso automático em me convencer. Conte mais.

Leandro Nunes da Silva disse...

Estou realmente ansioso por esta nova versão. Estamos com uma mesa com 3.5 e antes de montá-la levamos um mes para decidir qual sistema jogariamos. Realmente são muitas informações e nossos jogadores usam todas as perícias e talentos. Vou mestrando e dando uma força. Temos dois defensores de 'Tormenta', um noob e estou de NPC tendencioso. Mas cada sistema é um sistema. E isso acaba exigindo de cada jogador ser um fã. Espero que seja bom realmente.

Dragões do sol Negro disse...

O que é mais legal ainda Leandro é que segundo o pessoal deles o Livro Básico vai ser gratuito para download. Se essa moda pega...

Anônimo disse...

Pergunta é: E agora quem vai ser os incautos a traduzir e diagramar isso tudo? porque se for esperar a Devir em 2025 teremos material tupiniquim...

Gilson Rocha disse...

Acredito que dificilmente uma editora em outro país investirá numa tradução. Penso que esta estratégia da editora proprietária é minimizar o impacto negativo que a quarta edição teve para muitos jogadores, que debandaram para o concorrente Pathfinder. Ainda penso que é também uma forma de criar um senso de comunidade entre os jogadores de outras línguas, já que muitos irão correr, ou já correram, para disponibilizar suas próprias traduções.

Vitor Melo disse...

Valeu pelas dicas, vou começar a jogar semana que vem.

Dragões do sol Negro disse...

Que bom que ajudou!

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes