sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Criando seu mundo de fantasia medieval

Depois de ler vários livros sobre os mais variados mundos de fantasia medieval, chega a ser exaustiva a quantidade de riquezas de informações que os mundos apresentam. Cultura, história, geografia, política, cosmologia, divindades, economia, tudo, há tudo.

Claro que ter estas informações é muito gratificante para narrar aventuras nestes mundos tão ricamente detalhados. Mas para alguns narradores, tanta informação pode ser um desgaste, além do que outros narradores gostam de pensar na construção de seus próprios mundos.

Depois que lemos alguns livros com a temática de fantasia medieval, fica óbvio perceber a influência deles nos cenários de RPG. E ‘fantasia medieval’ fica entendida aqui como a Europa medieval com magia e seres fantásticos. Me detenho às obras de Tolkien para entender estes mundos de RPG e como um mundo próprio pode começar a ser pensado.

Em geral
- os humanos são a espécie dominante;
- os anões vivem em cidades subterrâneas;
- os hobbits têm uma vida pacífica e sossegada (a saber que a palavra ‘hobbit’ é de propriedade da família Tolkien e não pode ser usada em material algum que não seja do próprio Tolkien. Por isso a TSR passou a usar ‘halfling’, numa tradução livre de ‘metade de alguma coisa’, ou ainda ‘pequenos’ ou ‘pequeninos’);
- os orcs são sujos, imorais e cruéis;
- os elfos apresentam variações como ‘da floresta’, ‘do rio’, etc.; e
- uma entidade/divindade maligna é o inimigo de todos e usa os orcs como soldados.

Como devem saber, os autores de livros de fantasia medieval se inspiram na história e mitos do mundo real, por isso construir um mundo próprio é bem trabalhoso. Cultura, história, geografia, política, cosmologia, divindades e economia são muitas informações a serem pesquisadas, analisadas e escritas.

Você pode construir sozinho um mundo mais simplificado, apenas para a diversão com seus amigos, ou pode ter a ajuda de seus jogadores para construírem um mundo juntos, o que será gratificante para todos, e provavelmente aumentará o interesse nas aventuras e campanhas neste mundo. Além do que, ter ótimas ideias em grupo é bem melhor do que tê-las sozinho.

Vocês podem começar com um mapa que contenha apenas os aspectos geográficos. Há vários programas que fazem mapas, além de páginas sobre o assunto na internet, basta querer pesquisar. E se for imprimir em tamanho grande, não custa tão caro. Mesmo em lona, de 120cm por 80cm, custa por volta de R$ 30,00 a R$ 40,00 pelo que já pesquisei em algumas cidade do Brasil. Sobre mapas veja aqui:
www.dragoesdosolnegro.com/2013/09/mapas-mapas-mapas.html

Você pode decidir que as aventuras iniciam num vilarejo ou mesmo numa cidade grande, e que os personagens moram nesta cidade. Caso os personagens sejam de outras cidades, que eles digam como são estas cidades, sua geografia, cultura, distância, etc. Esta técnica narrativa tirei diretamente do excelente RPG Dungeon World, traduzido pela Secular Games. www.secular-games.com/dungeon-world

Conforme as aventuras levam os personagens cada vez mais longe da cidade inicial, o grupo começa a construir o mundo, seja inserindo lugares, lendas, histórias reais de moradores da próxima cidade, etc. Todos colaboram. A decisão de adotar tais informações deveria ser democrática e que seja do agrado de todos, mas como isso nem sempre será possível, o jogador que não gostou poderia decidir outro assunto do mundo que está sendo construído.

Agora a parte mais fácil e ao mesmo tempo mais difícil, que requer uma boa ideia criativa, é criar a “essência do mundo”, que é a característica que torna o mundo único. Partindo da definição que ‘fantasia medieval’ é a Europa medieval com magia e seres fantásticos, podemos ver alguns mundos criados por editoras de RPG:

- Um mundo de fantasia medieval padrão, porém gigantesco.
- Com um tom de horror e do gótico.
- Mais cruel e sombrio.
- Inspirado no Japão feudal.
- Um clima desértico beirando o insuportável e sociedade brutal.
- Fantasia medieval padrão onde a divindade maligna governa.
- Com um tom de revolução industrial cheio de máquinas movidas a vapor.
- Sem deuses e governado por dragões cruéis.
- Facções e espécies numa guerra constante de escala continental.
- Estilo árabe, inspirado nas Mil e Uma Noites.

Reconheceu algum título publicado com estas essências de mundo?

Mas se você deseja escrever um mundo ricamente detalhado, sugiro que comece a ler bastante sobre a idade média na Europa e no resto do planeta, livros sobre mitologia (recomendo ‘O Livro de Ouro da Mitologia’ que é bom e barato), livros sobre religiões e divindades, a Bíblia e outros livros sagrados de outras religiões. Estas informações são fáceis de encontrar em livros, bibliotecas públicas, páginas na internet confiáveis e de qualidade.

Numa próxima postagem escreverei pequenas dicas sobre como usar cenários publicados para que o grupo todo se aprofunde, não apenas o narrador.


Gilson

9 Blá blá blá!:

Rogério disse...

Bom. Esta matéria mostra de forma sucinta o geral da construção de mundos fantásticos.
Ater-se as obras de Tolkien como exemplo parece ser o que 99% dos cenário de fantasia fazem. o Quarteto: Humano, Elfo, Anão e Hobbit são universais. Nem o D&D escapou disso e mantêm esses elementos até o dia de hoje.

Gilson Rocha disse...

É bem isso mesmo que você escreveu, Rogério!

Gilson

Fabricio Caxias disse...

Um bom guia para Rookies, parabéns.

Gilson Rocha disse...

Valeu, Fabrício! Este é o caminho básico, acredito. Por isso fui desistindo de pensar num mundo, depois que eu observava cada vez mais a complexidade necessária.

Gilson

Filipe Dias disse...

Valeu jovem. Gostei muitoda abordagem e espero ansiosamente o próximo.

RPGames Brasil

Gilson Rocha disse...

Grato, Filipe! Bem, a próxima postagem será sobre como aproveitar melhor cenários publicados pela editora, e não pensar em cenários próprios. Mas acabei lembrando de algumas coisas de alguns cenários publicados, que são geralmente estadunidenses ou europeus: o norte é sempre gelado (como nos EUA e Europa), às vezes há uma pequena ilha que é belicamente poderosa (como a Inglaterra na Idade Média). Quando for feito o levantamento do mundo real e analisar mundos publicados, mais semelhanças surgirão.

Gilson

Gilson Rocha disse...

Um programa para escrever mundos. Não conheço.
http://masmorradesaia.blogspot.com.br/2013/12/criando-seu-proprio-cenario-para-rpg.html

Gilson

Angellique Havens disse...

adorei!!e com certeza da pra usar isso em fic e/ou livros pra quem escreve (como eu!)

eu gostaria de saber quem estiver começando um rpg online de aventura (medieval de preferencia),por favor me mandem um email sobre o assunto,e quando vcs vão começar etc. mandem no email amandamatias06@gmail.com

brigada
bjss

Dragões do sol Negro disse...

Infelizmente não estamos começando não Amanda, mas se alguém ai estiver montando ta uma jogadora pronta para iniciar.

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes