terça-feira, 20 de agosto de 2013

Filosofia RPG - Influência de Jogos na Personalidade




Bom:

Resolvi criar a sessão "Filosofia RPG" para tratar de assuntos relacionados ao nosso Hobby que não seja simplesmente material para RPG.


Influencia de Jogos na personalidade.

Vídeo Games e RPGs sempre foram formas de entretenimento cercadas de polêmica, na maioria dos casos é uma ladainha tocada em uma tecla só: O Grau de influência desses jogos na personalidade dos jogadores. O tempo passa e a ladainha tentando incriminar esses jogos surge das profundezas obscuras como alguma besta bizarra dos livros de Lovecraft fazendo a mídia, sobretudo em alas hipocritamente conservadoras, atacar os dois tipos de jogos sem lá muita propriedade . A título de exemplo, ano passado um psicólogo no TED dizia que o vídeo game e a pornografia irão extinguir a humanidade. 

<Coment Ironic Mode: On> Pois é... todos os 7200 000 000 de pessoa do mundo não param de procriar num mundo de recursos limitados e de população crescendo descontroladamente e o problema, claro é a Sasha Grey e o Super Mario que estão mantendo os homens virgens...</Coment Ironic Mode: Off>

Essa questão é antiga e vem de outras mídias de entretenimento e de outros tempos. Nos idos de 1950 a suspeita de que as histórias em quadrinho incentivavam a delinquência enterrou a “Era de Ouro dos Quadrinhos” dando início da era de Prata onde todo um conjunto de regras (Comics Code Authority) foram estabelecidas para que pudesse fazer quadrinhos. Muitas heróis nasceram nessa época, e muitas bizarrices, como um Super-Homem com cabeça de formiga surgiram para adequar as histórias. Nem vamos entrar aqui no mérito de obras mais antigas, esse é apenas um exemplo mostrando que o problema é mais antigo que a geração “y” se depara.

Recentemente temos o caso do menino que supostamente matou a família toda com disparos precisos de uma arma .40. Não vamos tratar aqui sobre a questão do menino ser ou não inocente, mas sim da acusação de que o game, Assassin’s Creed teria, de alguma forma estimulado o rapaz a realizar a chacina. A coisa tomou proporções tal que até mesmo a Ubisoft, produtora estrangeira do jogo, acabou tendo que se manifestar a respeito.

Bem, primeiramente temos de ver o significado de influência para dar continuidade ao raciocínio. Segundo o Dicionário de Portugues Online isso é o que significa influência:

s.f. Ação de uma pessoa ou de uma coisa sobre outra: ter grande influência sobre uma criança; influência do clima sobre o temperamento. Ascendência, autoridade, crédito, prestígio, preponderância.

Influxo.


O priberam, define:
(latim medieval influentia, -ae)
s. f.

1. Acto ou efeito de influir.
2. Influxo, ascendência, preponderância.
3. Acção que uma pessoa ou coisa exerce noutra.
4. Entusiasmo.
5. Acção exercida pelos astros nos corpos sublunares.
6. [Física]  Acção dos corpos electrizados exercida nos outros corpos.
7. [Medicina]  Doença epidémica que ataca as vias respiratórias. = GRIPE, INFLUENÇA

Bom, ambos concordam que há ação imposta de uma coisa ou pessoa sobre outra. Ação é uma palavra bem ampla pois violentar alguém seria uma forma de se ter influência sobre outros, o que faz sentido se levarmos em consideração que a força já foi bastante empregada para forçar alguém a alguma ação. A pergunta enfim é: que ação o game toma sobre o jogador, ou melhor como o jogo atua na personalidade do jogador? 

Agora, pergunto: porque o jogador é tomado sempre como um entidade passiva neste tipo de acontecimento? É o jogo que influencia ou um jogador que se deixa influenciar pelo jogo? Já notaram que quando o assunto vem à tona parece que os gamers/rpgistas são entidades completamente distraídas que simplesmente ao jogar duas ou três horas do seu jogo favorito vai recebendo influencia do mesmo vindo a se tornar um monstro potencial em algum tempo, numa versão NERD de Dr. Jackyl and Mr. Hyde? Porque o estado psicológico do jogador é simplesmente deixado de lado quando alguma tragédia é associada aos games/RPGs e aparece na mídia?   Porque não chamam os jogadores de retardados de uma vez?
A minha visão sobre a coisa é bem simples: Não é game que influencia nada, a menos que se tenha algum problema mental ou neurológico prévio. O que ocorre é que indivíduos com algum tipo de perturbação passam a buscar coisas relacionadas sua doença. Não são games estilo FPS que formam ou incentivam a se criar atiradores assassinos, mas pessoas violentas buscam esses jogos porque de alguma forma se identificam com os elementos dele. Ora, é sabido que o futebol é um jogo muito popular no Brasil (estou sendo eufêmico, ok?) e curiosamente games de futebol sempre foram bastante populares por aqui, porque esses games tem relação com um elemento prévio de nossa cultura. 

Mas talvez alguém fale que conhece outro alguém que por acaso passou a jogar futebol porque jogou Winning Eleven. A situação é diferente com assassinos pois jogar futebol não levanta centenas de questões éticas e não é porque alguém quis jogar futebol porque jogou antes Winning Eleven que significa que alguém vai sair por aí matando pessoas porque jogou um FPS!

Um relatório do site Newzoo divulgou agora no meio do ano o Global Games Market Report 2013 e revela que o mundo tem cerca de 1,2 bilhões de gamers, de acordo com o News10 Isso representa aproximadamente 18,06% do total da população mundial, considerando que ela é de 7,2 bilhões. Eu não vou contar aqui RPGistas porque não tenho dados suficientes para isso. Mas , segundo essa pesquisa, uma em cada 5-6 pessoas no mundo é gamer! Se você ainda acredita que vídeo-games influenciam alguém a ponto deste cometer crimes lhe recomendo que reveja seus conceitos ou se esconda muito bem numa caverna e, preferencialmente fique por lá...


Rogério Monge da Dungeon

5 Blá blá blá!:

Mostarda Man disse...

Excelente artigo Rogério. Eu acredito que o RPG (ou os games) bem como qualquer outra coisa que o ser humano inventou é apenas uma ferramenta. Penso que a responsabilidade é de quem usa e em 99,9% dos casos a maldade está no indivíduo e não na ferramenta. Mas como somos comodistas é mais fácil colocar a culpa nas ferramentas do que reconhecer os nossos erros. Um bom exemplo é o diabo que é sempre o culpado por todas as atrocidades e imbecilidades humanas. Séculos vão séculos vem e parece que temos memória curta, pois continuamos a cometer os mesmos erros que nossos antepassados, mesmo sabendo onde eles erraram. Isso sim é insanidade.

Dragões do sol Negro disse...

É mais ou menos por ai Mostarda, só a parte do diabo que não concordo. Mas... - MNAR

Diego disse...

Argumento adorável do Sr. Léo Lins:

"Se vídeo-game influenciasse a molecada teríamos uma geração de encanadores".

Nintendo Jesus on.

Filipe Dias disse...

A questão é que a mídia, as pessoas, todo mundo precisa encontrar um culpado para as bizarrices e crimes que acontecem. Muitas vezes, quem emite opinião. está despreprarado para estar falando sobre. Como no post Desfecho do Caso Aline (http://www.rpgamesbrasil.com.br/2010/08/desfecho-do-case-de-aline.html), no RPGames Brasil, mostra como a mídia e os responsáveis pelo inquerito em Ouro Preto foram apressados e despreparados em acusar jogadores de RPG.

Enfim, é muito mais fácil fazer acusações vazias, do que ir atras da verdade.

Druida-Filid
RPgames Brasil

Dragões do sol Negro disse...

Concordo com você Felipe

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes