quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Mnar, entrevista o Clérigo e a Ordem do RPG



 Estou aqui hoje com nosso parceiro, o Clérigo, do blog O Clérigo e a Ordem do RPG


Clérigo, Seja bem vindo ao nosso Aniversário Premiado II. (Falei)

- Velho Mnar, é um prazer participar novamente do aniversário dos Dragões do Sol Negro!

Ele sabe meu nome vou com cautela, não medo cautela... Espero que esteja participando de nossas promoções e curtindo o nosso blog.
E eu espero ganhar alguma coisa dessa vez! XD

Vossa Eminencia, Clérigo, como é vosso nome verdadeiro?
Me chamo Rafael. Mas a família me chama de faeco ou papael. :s

faeco, papael hauhauhau, concentre-se Mnar ele vai saber. Acompanho o Clérigo constantemente e se não for pedir muito, quem mais o ajuda?
Bom, a equipe cresceu bastante no último ano. Atualmente são 16 autores além de mim. Cada um posta uma vez por semana, mais ou menos, e a gente se diverte pra caramba.

A Vossa Eminencia governa o blog com a ira divina? 
Cada autor tem uma seção específica, por exemplo os Sermões do Clérigo e as Baforadas do Red Dragon, mas há várias seções comunitárias, onde todos podem postar. Além disso, além de mim o blog tem mais três autores que são administradores, ou seja, têm algumas responsabilidades extras, além dos posts. 

Vossa Eminencia poderia dizer desde quando existe o blog?
Eu criei o blog em 2008, mas só postei umas quatro vezes até 2010, quando decidi levar o projeto adiante e postar todos os dias. Deu um trabalho danado, mas valeu a pena.

A era de ouro do RPG já passou mas eu posso perguntar? O que você acha que vem por ai?
Eu acho que a era de ouro do RPG é um pouco diferente pra cada pessoa. Eu vivi uma era de ouro quando tinha 17 anos de idade, mas sinto que estou vivendo outra era de ouro agora, aos 31.

Quanto ao que vem pela frente, pelo menos na minha mesa é muito RPG indie (independente), aqueles títulos fora do mainstream, mais simples, rápidos e baratos. Aparentemente, isso é o que tem movimentado o mercado nacional, representado especialmente pela Redbox, Retropunk, Secular Games e Coisinha Verde Publicações.

Ainda tem gente que gosta daqueles manuais enormes, em capa dura, caros pra dedéu, mas eu estou muito mais disposto a encarar jogos menores, com menos regras e coisas pra ler. Meu sonho é ter um sistema de RPG completo em um livreto como os manuais de regras de Banco Imobiliário e War: coisa pra sair jogando logo de cara.

Vossa Eminencia ainda joga? 
Sim! Tenho uma mesa online com alguns autores e comentaristas do blog, estou mestrando para um grupo de alunos de uma das escolas em que trabalho e nas férias mestro para uma rapaziada da igreja.


Como assim, mestra para o pessoal da igreja? Achei que igreja fosse contra?
- Não há nada oficialmente contra RPG nos ensinamentos da igreja que frequento, mas somos ensinados a usar o bom senso. Eu, por exemplo, não gosto de jogos muito pesados ou que distorçam conceitos que acredito serem verdadeiros. Prefiro ficar na fantasia básica e chutar orcs do que ficar filosofando sobre anjos e demônios na mesa de RPG.

O mais legal é que alguns dos pais dessa molecada pra quem eu mestro já haviam jogado RPG e os pais que ainda não conheciam o jogo até ficaram interessados. Estamos tentando marcar um jogo só com os adultos, mas tá difícil...

Qual o sistema ou jogo que o enviado dos céus joga?
Atualmente, sem dúvidas, é o Old Dragon. Eu me sinto jogando AD&D novamente com esse jogo, ou seja, me sinto novamente na minha primeira era de ouro do RPG. Minha paixão pelo sistema é tanta que vivo produzindo material para ele lá no blog, como novas especializações (um conceito que achei fantástico) e equipamentos.

Mas, obviamente, tenho outras paixões. Dentre os jogos que estão no mercado atualmente, 3:16 - Carnificina entre as estrelas é um de meus favoritos, junto com Busca Final, Dragon Age e Mighty Blade. É, eu sei, a maioria destes títulos é medieval, mas é o que mais me atrai em RPGs.

De coisas mais antigas, gosto muito de Castelo Falkenstein, Lobisomem e Cyberpunk 2020.

No jogo Vossa Eminencia usa a justiça divina ou só o que é preciso?
Como mestre, só o essencial; como jogador, às vezes encho o saco do mestre, advogando a meu próprio favor, rsrsrsrs.


Mas sem ser elfolices né?
Sim, sem elfolices. Eu sou advogado de regras principalmente quando o mestre é meu sobrinho, o ladino, pois o guri gosta de levar vantagem contra os jogadores. Aí, alguém tem que se erguer contra a tirania opressiva do DM sádico e mostrar pra ele que a regra é clara. Depois disso a gente come uma pizza e bebe refri juntos pra apaziguar as coisas! XD

Sei que és um clérigo, mas qual é sua classe preferida?
Olha, me divido entre clérigos e ladinos, por causa da versatilidade de cada um. Meu primeiro personagem foi um clérigo, então é uma antiga paixão. Gosto dos poderes únicos dos padrecos, especialmente seu relacionamento com as divindades.

Por outro lado, acho os ladinos fantásticos, pois meu personagem mais marcante foi um ladrão em AD&D. Ladrões são muito legais por que você não tem nada que realmente valha a pena, a não ser a interpretação que o jogador coloca sobre ele. Ladrões não são bons em combate, não soltam magias e nem curam. Eles são totalmente desnecessários em um grupo, mas acho que é por isso que são divertidos.


Mas no seu grupo tem um ladrão? Ele também é desnecessário?
Então, se você for parar pra pensar nas habilidades ladinas, a maioria delas é coberta por outras classes. Um bom exemplo são os magos, que podem usar a magia Abrir/Trancar, muito mais eficientemente que qualquer ladrão. Outro exemplo é um guerreiro com destreza alta, que pode ser melhor do que um ladrão em ataques à distância. E há outras magias que permitem a outros personagens simularem os talentos ladinos, como andar em silêncio e esconder-se. 


O ladino é o cara que não tem nenhuma habilidade única. Os magos, por exemplo, são os únicos a lançar magias arcanas; os clérigos, as divinas; os guerreiros usam todas as armas e armaduras possíveis; mas os ladrões são como aqueles que não conseguiram ser nenhum dos outros, nem conseguiram fazer nada tão diferente. Por isso a classe ladrão é, na minha opinião, desnecessária em termos mecânicos, tão somente. Contudo, ela é muito interessante de se interpretar e enriquece o jogo pra caramba, afinal você tem que mandar muito bem pra sobreviver junto a uns caras que lançam bolas de fogo, expulsam mortos-vivos e causam danos absurdos.


Quanto ao meu grupo de jogo, sim, temos três ladrões que são absolutamente necessários para o bom andamento da campanha!

Quando não estava com clérigo qual a situação que mais marcou?
Uns 10 anos atrás eu jogava AD&D com um ladrão chamado Zorak (nome inspirado no inimigo do Space Ghost XD). Perseguíamos um PdM maledeto, nem me lembro por quê, mas no confronto com o infeliz, ele matou um membro do nosso grupo e deu no pé.

Acontece que o defunto, ou melhor defunta, era uma princesa rebelde que havia fugido de casa e se unido a nosso grupo. E ela era a única que dava algum valor a Zorak. Aí eu pensei como um ladrão desprezado por todos reagiria ao ver morta a única pessoa que acreditava nele? 

Não deu outra, fiz uma interpretação digna de teatro, daquelas que nunca mais repeti, e ganhei uns bons XPs a mais no fim da aventura. Mas o mais marcante foi me colocar na pele do personagem.

Posso perguntar? Como conheceu os Dragões do Sol Negro?
Boa pergunta... deve ter sido um banner em algum blog, rsrsrsrsrs. Atualmente eu sigo mais de 100 blogs de RPG, então não lembro como conheci cada um deles.

Apesar disso, tenho um grande respeito e admiração pelo trabalho dos DSN. É um grande blog e o Mnar, apesar de ser meio-elfo, é muito gente boa XD

Meio elfo é o escam.... ele vai saber; ele vai saber... Eu gostaria de saber o que Vossa Eminencia tem a dizer ao pessoal da blogosfera e ao pessoal que visita o seu blog?
Eu só tenho a agradecer pelo apoio do pessoal. As visitas e comentários são a grande motivação pra continuarmos escrevendo e produzindo material pra turbinar as mesas de jogo dessa galera.

Muito obrigado pela vossa entrevista.
Eu é que agradeço pela oportunidade de divulgar o Clérigo por aqui! Muito sucesso aos DSN e muitos anos de vida!
Ufa acabou essa foi tensa.

9 Blá blá blá!:

Luiza disse...

Adoro entrevistas 8D Achei interessante o Clérigo mestrar pro pessoal da Igreja, mas eu sou o contrário, gosto de campanhas mais confusas e filosóficas XD Mas aí é ao gosto do freguês.

Red Dragon disse...

Essa entrevista ficou d+ KOPAkpOKapoKOPKA (O Mnar todo educado KApoKOPKaopKA)

Dragões do sol Negro disse...

hahaha é que segundo o Mnar os clérigos conversam com o pessoal lá de cima e eles ouvem hauhauahua

o Clérigo disse...

Simplesmente fantástico! Obrigado pela oportunidade Mnar! E olha que eu sei mais do que falei, viu! XD

o Ladino disse...

TIRANIA OPRESSIVA? isto sim é uma baita mentira senhor Clérigo... kkkkkkkkkkkkkkk

Mas a entrevista ta muito boa, e eu sou um bom mestre ^^

Paulo disse...

E porque falou só isso? rs

Bel disse...

A entrevista ficou ótima!!!

Parabéns pro pessoal do DSN pelo seu aniversário.

Giovana-chan disse...

Mas eita! Esse Clérigo ta ficando famoso hein! hahaha! Adorei a entrevista. XD

Schwarzenegger. disse...

olha o patrão fazendo bonito, muito boa e engraçada a entrevista, e parabens pelo aninversarios.

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes