quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Mnar, entrevista a Astreya



Aqui é Mnar o Urso e hoje, estamos aqui hoje com a nossa parceira Astreya do Blog Cancioneiro de Astreya



Cara Astreya, Seja bem vinda ao nosso Aniversário Premiado II. (falei já)

Doce barda elfica por ventura, poderia me responder qual seu nome verdadeiro?
     - Meu verdadeiro nome é Liége Báccaro Toledo! 

Belo nome, mas continuarei a utilizar o Astreya, que já me familiarizei bela dama. Diga lábios de mel, em vosso grandioso e ostentoso blog Cancioneiro de Astreya o qual visito sempre que posso poderia por ventua me dizer quantas pessoas lhe ajudam?
     - Na verdade, eu mesma gerencio o blog sozinha, mas o Odin, do Halls of Valhalla, contribui escrevendo as Crônicas de Elgalor, uma história em episódios que conta o enredo de nossa aventura de RPG no qual minha personagem era a Astreya.  

Belos olhos... Vós comanda com o doce sabor de sua voz o Cancioneiro de Astreya ou deixa-os livres?
     - Bem, cada um faz o que quer, eu posto quando consigo ou tenho uma boa ideia, e Odin escreve as Crônicas quando tem tempo, e assim eu as publico.  

Docinho de coco poderia dizer a quanto tempo existe seu belo blog?
     - Há mais de um ano! Apesar de não postar tanto quanto gostaria, fiquei muito surpresa com o resultado positivo que obtive ao fazer um blog.  

Minha manjubinha a era de ouro do RPG, já passou, mas eu devo lhe perguntar, o que o pitelzinho acha que vem por ai?
     - Bem, eu não posso saber com certeza. Eu apenas espero que mais pessoas descubram o RPG, e encontrem nele um hobby maravilhoso e uma forma de viver as histórias com as quais a gente sonha, uma forma de cultivar amizades e relacionamentos duradouros. Tenho visto muitas publicações independentes e muita gente boa botando a mão na massa para fazer com o o nosso querido hobby se renove e cresça, mesmo que não tanto quanto gostaríamos.  

Princesinha elfica, me diga ainda joga?
     - Sim, tenho, ainda bem! Digo isso porque é duro manter o ritmo quando se vai ficando mais velho, no início éramos apenas um grupo de pessoas novas que adoravam jogar, tínhamos mais tempo, disponibilidade... agora todos tem seus compromissos, trabalho, e nem sempre o RPG pode ser algo que com certeza vamos botar com certa prioridade na agenda. Eu posso dizer que tento, gosto muito de jogar e meu sonho era chegar à velhice jogando com meu marido e meus amigos, espero que a vida permita, hehe. 

Bela dama me diga qual o seu jogo ou sistema preferido?
     - O meu sistema favorito é o D&D e agora também o ASGARD RPG feito pelo Odin e debatido coletivamente e intensivamente pelo nosso grupo, embora o Odin ainda esteja ajeitando o sistema. Gosto muito de fantasia medieval, e acredito que esse tipo de sistema (ou parecido) é a melhor opção para esse tipo de aventura mais heróica, contando suas vantagens e desvantagens.   

Sei que a a jovem e bela Astreya não é advogada de regras não é mesmo?
     - Haha, advogada de regras jamais! Definitivamente não me detenho demais nisso e fico bastante aborrecida quando alguém o faz em demasia, mas acho que regras são necessárias para deixar o jogo com uma estrutura, com certos padrões a se seguir até mesmo para termos a sensação de estar jogando em um mundo coerente, independente de nós. Contudo, nada precisa ser estanque e acredito que cada grupo deva adaptar um jogo de acordo com o que for melhor para os jogadores. O objetivo do RPG é se divertir e seguir aquilo que a gente acha bacana (e não ficar decorando regras ou abolir todas elas só porque você leu em um fórum que regras não servem para nada e que quem joga sem elas é mais cool).  

Queria e estonteante Astreya qual vossa classe preferida?
     - Adoro o bardo, acho que é óbvio, hehe. Gosto muito de jogar com bardas porque acho que é um personagem versátil e que te possibilita interpretar bastante, conversar, interagir com o mundo e os NPCs... claro que podemos fazer isso com outras classes, mas o bardo é ideal para isso. Além disso é uma classe que pode dar bastante suporte para o grupo, e além disso temos a vantagem de cantar na taverna depois de uma batalha difícil, hahaha.  

HAUHAUAHAUH, me conte então uma história sedutora Astreya?
     - Minha personagem barda mais marcante foi a Astreya. Lembro que com ela fiz um Balor dançar com a magia "dança irresistível de Otto", foi bastante engraçado. Além disso, há toda a história que tivemos com o nosso grupo. Os combates, as situações de tensão, as cenas engraçadas, o romance (só para mim, os rapazes da mesa costumam abominar esse tipo de coisa, e sempre reclamam comigo porque eu "só quero casar" no fim da aventura, hahaha), tudo foi muito legal, tanto que criei meu blog só para convencer o Odin (do Halls of Valhalla) a escrever a história (As Crônicas de Elgalor) para que eu a publicasse.   

Cocótinha do meu coração, como descobriste o nosso pessoal?
     - Por meio do blog mesmo, acredito que em um momento eu acabei indo pedir parceria e como o pessoal foi muito bacana, tudo deu certo! 

Ah que legal, deve ter sido o Bardo Cego ele é gente boa, infelizmente chegamos ao final da nossa entrevista, mas antes de nos despedirmos deixe o seu recado para o pessoal?
     - Gostaria de agradecer muito a todos aqueles que visitam o Cancioneiro, mesmo quando ele está mais paradinho, e dar um parabéns a todos que dedicam parte de seu tempo a criar um blog dedicado a esse hobby, o esforço de todos vale muito a pena! 

Sinto que não posso deixa-la ir mas devemos partir, muito obrigado.

2 Blá blá blá!:

Astreya disse...

Obrigada pela oportunidade de participar do Aniversário Premiado, grande Mnar! Vida longa aos Dragões do Sol Negro!

Odin disse...

Hahahaha, pela maneira como fizestes as perguntas, tu deves ser mesmo ser um verdadeiro "terror" com as donzelas e emelfos, bravo Mnar!

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes