segunda-feira, 17 de outubro de 2011



Calabouço...
Você já teve aquela sensação que esta chegando a hora porém não admite ou que um sentimento que deveria não te contaminar acordou de um modo não controlável?Bem, isso vem se passando comigo a cada minuto, me vejo mais perdida que o normal e nesse dia foi à segunda opção que me ocorreu.
Após acordar com o corpo dolorido e na penumbra pensei novamente na morte só que antes de isso realmente me calar ouvi meus colegas e uma luz ou algo assim fez com que nos vessemos, estava quieta pensando no dia anterior, na batalha que após uns minutos soube que tinha sido há uma semana. Havíamos dormido por uma semana sem se quer sonhar, pelo menos a minha pessoa.
Presos em um buraco com paredes escorregadias nos perguntávamos o que iria acontecer, o druida que tínhamos lutado nos contara que o único jeito de sair dali era lutando, dez batalhas sem nenhuma derrota, também dizia que tinha outra saída só que não nos contaria. Eu estava ali, quieta, enquanto os outros diziam que não iriam virar comida e outros dizendo que era uma boa idéia lutar, faltavam nove apenas...
No meio da discussão vi Horus observando as paredes e então começou a subir desviando dos cantos mais escorregadios e tentando abrir ou empurrar a saída mais obvia no momento, um alçapão. Pulou pra fora e demorou poucos segundos para nos jogar uma escada de corda, gesticulando para que subíssemos por ela... o primeiro a sair se segurando pela corda foi Argoran e depois Mordecai... fiquei sem ação, sentada no chão daquele buraco pensando em que poderia ter nos arrastado para la. Sem resposta para mais uma pergunta, meus pensamentos voaram e me peguei pensando na minha avó... sua face, o cansaço que tinha em seus olhos.... me deixei ser tomada pelo sentimento que já não sentia há anos. Acho que o maior inimigo não é aquele que vemos e, particularmente não é também o futuro e sim o passado... nossas lembranças e o que ele pode fazer com a cabeça de um ser, novamente perdida nas lembranças tentei me concentrar e disse que sairia também dali subindo a corda sentia o peso do olhar daqueles que ainda estavam ali.
Lá em cima me dirigi até o quarto e vi umas folhas e papeis brancos, Kirog tinha outras que estavam escritas em suas mãos e lia cada uma delas, nos dizendo que tratavam de batalhas... sem saber o que fazer, Kirog começou a falsificar os papeis... se teríamos que lutar pelo menos que fosse em dupla, novamente comecei a pensar nas consequencias dessa falsificação: se ganharmos e se matarmos os que vierem no caminho será que nas finais não estaríamos um contra o outro e no final só um de nos sairia vencedor e com sangue de companheiros em sua mão?
Tentando afastar esse pensamento fui ao lado de um baú que se encontrava do lado da cama e após abri-lo encontrei muitos papeis de batalha... procurando algo que tirasse minha duvida que mostrasse que meu pensamento era errado continuei lendo só que os outros já saiam do quarto e larguei tudo para acompanhá-los... o silencio e a solidão me traziam lembranças e pensamentos bem mais fortes do que ao lado deles.
Na porta perto das escadarias todos pararam... ela se mantinha fechada e procurávamos um modo de abrir só que nossa demora fez com que alguém se aproximasse e logo todas as tochas que tinham naquele lugar se apagaram... o barulho da porta se abrindo foi o suficiente para manter todos paralisados e logo se ouvia o barulho de flechas sendo que uma me atingiu. Nada foi feito, pensado ou pronunciado entre nós apenas uma voz severa mandou nos rendermos e as tochas voltaram a se acender. Larguei minha arma no chão e vi a morte mais perto, vi Kirog pensando se iria se render e lembro que fiquei aliviada ao ver que o bom senso o atingiu, lutar com quem estava ali não era uma boa idéia, apesar que agora penso se não seria melhor por que o que foi mandado Kirog fazer é bem pior, enfeitiçado pelo outro mago que mandou nós nos rendermos, teve que aceitar matar o campeão das batalhas, fora da arena.
A recompensa foi tentadora... iríamos para casa, não é nada ruim a floresta de lá e mais aconchegante que o reino onde fomos parar.
Chegando à torre do possível campeão, haviam 3 guardas na porta que mandaram nos retirar... foi então que percebemos que faltava dois de nós e antes de voltar, eles já estavam perto de nos dizendo que viram o possível campeão, conversando sobre o assunto, fomos todos indo para arena foi ai que me lembrei do que tinha ouvido no caminho. Não lembro o que aconteceu mais logo todos estavam indo para lá pensando em como entrar e numa forma de atacar... foi então que fiquei mais ainda em duvida sobre meus pensamentos: hora pensava em entrar em um comércio vazio para procurar dinheiro hora lutava contra minha própria mente para observar o que eles estavam fazendo. No final de tudo ficamos ali fora, Kirog queria, ou melhor, pensava que o lutador passaria ali o que eu não acreditava muito só que seu humor estava a mil já que pela primeira vez ele sentia sua cabeça realmente ser ameaçada a morte, agora ele entende o fardo que é carregar algo que nunca pedimos.
Sem ter conseguido me esconder me aproximei de alguém... talvez não seria uma boa idéia conversar... mais barulho me deixaria fora das lembranças que se mantinham em minha mente. No final em nada deu o dia e aquela sensação que tinha dito para vocês no início tomou meu corpo ao pensar na enrascada que agora estávamos...
Por Tallys

15 Blá blá blá!:

anagrélo disse...

Mordekai Jededayah Maquiavelli

Realmente incrivel seu relato,a parte das memorias foi uma idéia excelente, ainda por cima é um relato que nos traz um suspense

Thallys disse...

valeu Mordekai. Meu personagem só reclama, se minha reclamaçoe s nos levasse para casa não teriamos mais problema.

Rafael disse...

realmente ficou muito legal a historia so faltou um poco de ação nessa aventura sahahsa mas ficou bem interessante o modo em que vc colocou seus pensamentos muito legal :D!!

very disse...

Ketelly, parabéns realmente sua história ficou fantastica, gostei de ver que meu nome anda sendo mais comentado nos relatos, rs

Horus

Thallys disse...

Digo o mesmo meu personagem nesse dia tava dormindo.hsahsahsah como se isso fosse novidade. Então very tavendo seu personagem é ótimo quando ta sem arco. Ao contrario do meu ta vivo por sorte.hsahashas

Rafael / Kirog. disse...

bom,realmente uma bela história,etc... quero a minha aqui IUASDUYSADYTFSDFSA

Dragões do sol Negro disse...

Opa só fazer que ela vem!

Very disse...

Okok me rendo vou começar a guardar meu arco e usar mais minhas espadas, mas msm com espada meu dano é maior com o arco, ASHAUHSUA' tudo bem que agora dps de 2 level com o talento sem poder usar, eu vou começar combater com duas armas, ASHAUHSUA

Victor disse...

fico legal a sua historia mas ninguem fala do meu personagem, só porq eu morri uma vez...
E você n falou q o Mordekai viu o Vadamar lutando na arena e cortando uma mulher no meio.

Very disse...

AADHAUSHUAHSU, nem eu lembrava que ele tinha visto isso, HAHA

Rafael / Kirog. disse...

haaa,eu faço,sempre... só que né k

Rafael / Kirog. disse...

essa semana minha historia vem pra ca MUWHAHAHA

Very disse...

somos doiis, eu fico na expectativa e :(

Daoana / Loranys disse...

O texto ficou legal, mas você esqueceu da parte que o Yester caiu e eu fui cura-lo lá na masmorra

Thallys disse...

Hei pessoal desculpa ai pelas partes que eu não coloquei... Eu não lembrava muito desse dia. E guerreiro para de chorar é no blog e na sala, fique calmo felei de vc nos outros relatos. E também não estou mais brava.ashash

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes