terça-feira, 18 de outubro de 2011

A Batalha Arcana 07 - Acordo, aliados e possíveis soluções


   Muito boa tarde viajantes, posso contar uma história enquanto vocês bebem alguma coisa?



   Imaginam que saiba das histórias sobre os heróis que solucionaram o mistério da morte do rei, e se enfiaram no meio de uma árdua briga entre as escolas de magia.

   Pois bem, durante o combate contra as estátuas-vivas, Ragnak correu como pode pelo corredor norte e acaboui encontrando uma colônia Kobold. Embora eles fossem criaturas frágeis e estivessem dormindo, eles estavam em maior número e o meio orc já estava machucado. Passando pelos kobolds, Ragnak encontrou Jidoari, um bardo que graças a uma situação não resolvida com alguns magos acabou parando naquele local.

  Juntos encontraram mais corpos, envenenados em pequenos becos sem saída. Mas logo descobriram que por ali não havia saída, tendo que voltar para a colônia kobold. O bárbaro até tenou ser silencioso, mas os kobolds puderam ouví-lo e partiram para o ataque. Embora fossem maioria, os seis kobolds não oferecenram muita dificuldade. Um deles chegou a abandonar o combate para se refugiar numa espécie de forte que havia ali. Jidoari, cansado de golpear criaturas tão frágeis, preferiu assustá-las e com seus poderes criou um som de um exército machando em direção aos kobolds. Os que ainda não tinham morrido correram de medo ao ouvirem a marcha.

   Enquanto isso, Ramza, o clérigo que tinha saída pelo corredor ao sul, percebeu que o combate havia terminado. os corpos de seus amigos estavam no chão e as estátuas de volta ao lugar original. O guerreiro divino entra novamente no salão e percebe que sua presença disperta as estátuas que correm em sua direção. Rapidamente ele sai do salão de volta para o corredor e observa que as estátuas param também. Entretanto agora elas estão perto dele. Em busca de respostas ele pega um dos corpos envenenados e joga na frente as estátuas, que não se movem. Ele então mexe no corpo com o cajado que adquiriu recentemente, e então, num gesto rápido, a estátua toma o cajado de suas mãos, e voltam todas para a posição original. Assim que o cajado é colocado no centro do círculo das estátuas, a elfa que entregara o cajado para Gust voltou a aparecer.

Olhando atentamente, Ramza desconfiou que os círculos no chão poderia ter alguma serventia e decidiu tentar usar seus poderes divinos mais uma vez, só que agora dentro de um dos círculos. Dessa forma ele conseguiu curar todos seus amigos que estava desacordados.

Sem ter muitas opções, agora que todos estavam de pé, decidiram ir até a colônia kobold tentar descobrir alguma coisa. Como a porta estava fechada, Ragnak fez o que sabe e derrubou a porta num forte emcontrão. A escurião dentro do forte era garnde. Certos de sua vitória contra os kobolds, os herósi invadiram o forte, mas não esperavam uma onda de ataque tão forte de flechas e golpes de espada. Logo tiveram que bater em retirada.

Do lado de fora do forte, Blaze e Jidoari tiveram a idéia de conversarem com o líder kobold, supondo que havia um. Contrariando as expectativas, ele os atendeu; e depois de uma longa conversa o líder e mago kobold fez um acordo com os aventureiros: ele os perdoaria das mortes dos kobolds se eles encontrassem, matassem e trouxessem tudo o que pertence à um grande inimigo deles: Koccha - um meio-orc que se tornou morto vivo e que fora responsável pelo maior massacre kobold que ele já presenciou.

 Na busca por Koccha, mais um corpo envenenado foi encontrado. Já era o sexta corpo morto da mesma forma. Nesse caso, pelo que soube, Ragnak teve um surto de inteligência - ou de falta dela. e moveu o corpo do lugar para ficar deitado como o defunto.

 Já me disseram o quanto os bárbaros meio-orcs podem ser estúpidos, mas não imaginei que poderia ser tanto. Ops, desculpe! Nada contra bárbaros, mas é que essa foi demais. O que ele esperava, que a porta de saída aparecesse do nada? Enfim, só sei qeu ao mover o corpo um diário foi encontrado. O texto dizia que a pessoa tinha encontrado alguém que poderia lhe indicar a saída, mas primeiro ele teria que derrotá-lo em um desafio. O nome do sujeito escrito no diário era o próprio Koccha. Jidoaria, embora nunca tivesse ouvido falar desse meio-orc, sentiu um calafrio. Ele sabia que apenas dois tipos de gente conhecia a saída dali: membros de guildas de assassinos e andarilhos solitários que eram mais mortais e perigosos que a própria guilda - por isso ainda se mantinham vivos mesmo estando sozinhos.

Seguindo em busca de novos caminhos, muitos corredores e escuridão. Entre becos sem saídas e corredores em fim, foi encontrado o sétimo corpo envenenado, entretanto, dessa vez, havia apenas metade do corpo. Um grande buraco na parede e um rastro de sangue permitia deduzir que alguma criatura, cavou um tunel que saiu ali, e abocanhou a metade superior do corpo.

Seguindo em frente, Krow começou a perceber rastros no chão. Alguma coisa que se locomovia rastejando caminhara por ali. Alé disso muitas das paredes pareciam rachadas ou trincadas. Num novo beco, Krow entrou imaginando encontrar apenas mais um corpo, mas o que viu foi um pequeno lago, com um corpo diferente do outro lado. Não teve dúvidas, saltou para verificar. De perto percebeu que se tratava de uma elfa e ela carregva consigo um amuleto, um pingente de colar.

Por sorte, Krow conseguiu ouvri um forte barulho e se movimentar a tempo, pois um grande verme abriu um buraco na parede atacando-o. Sem exitar, o elfo sacou as espadas que haviaencontrado no chão e atacou como pode o verme - que gritou alto de dor. Os outros puderam ouvir o gemido de dor da criatura e correram lá para ajudar. Praticamente  todos saltaram o pequeno lago facilmente, com excessão de Ragnak que chegou a se afogar depois de um pulo mal sucedido.

Como estava em desvatagem numérica, o verme que se alimentava de carniça, não pode fazer muita coisa. Ele tinha noção que seria derrotado. Ma santes disso, atingiu Krow com um golpe preciso, paralizando-o. Assim que o paralizou, Jidoari decepou sua cabeça usando sua corrente com cravos!

O que eles fizeram depois eu não. Fico devendo essa informação para quando chegar novas notícias. Mas enquanto isso vamos aproveitar.

2 Blá blá blá!:

Victor disse...

Muito legal a historia, principalmente o Ragnak mexendo no corpo e achando o diário.
Estou esperando a continuação.

Dragões do sol Negro disse...

Com certeza virá novos Victor. Eu AgarantÍU!

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes