terça-feira, 11 de outubro de 2011

A Batalha Arcana 06 - Medo, combate, imagens refletidas e mistério


  Olha, olha minha gente! Notícias frescas sobre aqueles heróis que voltaram até à escola arcana!



  Lembram que o ladino e o clérigo tocaram em estátuas com alguns poderes mágicos que os transportaram para outro plano e depois eles voltaram inconscientes? Pois bem, não sei de vocês mas eu estava bem curioso para saber o que iriam fazer.

   Pelo que soube, Urbannus utilizou seu poder divino para curar Shadow, o ladino. Enquanto isso, o clérigo foi carregado até encontrarem alguma forma de curá-lo.

  Depois de passar pela porta norte, que haviaum esqueleto de uma cobra, os aventureiros encontraram uma encruzilhada. Perceberam um pouco depois que essa seria apenas a primeira de muitas que encontrariam dentro desse imenso labirinto escuro. Depois de um tempo de caminhada, eles decidem tomar o caminho que ia para a direita, já que no caso não era mais possível seguir em frente.

  Stor, cansado de seguir calmamente dispara correndo na frente de todos. Graças a um surto de reflexo o feiticeiro percebe que algo caiu do teto - ele havia disparado uma armadilha! O objeto que caiu no chão se partiu em pequenos pedaços e exalou um cheiro insuportável. Todos que estavam para trás do conjurador ficaram enojados com o cheiro forte e diminuaram o ritmo da caminhada.

   Depois de caminhar por mais um tempo pelo corredor escuro, Stor encontrou uma porta e ao abrí-la viu três grandes estátuas, com cerca de 5 metros cada. Os outros chegaram logo depois e ficaram receosos de entrar e acionar alguma armadilha ou cair em alguma emboscada. A experiência com as estátuas nas colunas provavelmente lhes mostrou o tipo de perigo que pode se encontrar no local.

 Decidiram então deixar o local e seguir pelo caminho. As possibildades de rumos a tomar pareciam aumentar cada vez mais. Logo após desistirem de entrar na sala com as 3 estátuas, eles tomaram um corredor que foi parar numa outra entrada para a mesma sala recusada.

 O medo de não conseguirem retornar ao ponto inicial passou pela cabeça de alguns nesse momento. Afinal, mesmo que eles sobrevivam aos perigos, eles devem achar a saída -  e não poderiam demorar muito, pois a vida de seus amigos dependem deles.

  Seguindo pelos caminhos restantes, eles encontraram um corredor e algumas pessoas que lhes chamaram a atenção. Eram como eles e se movimentavam como eles também. Shadow, com medo que fosse mais um truque dos magos, tratou de atirar uma pedra neles. Para sua surpresa um tipo de vidro se partiu e as imagens sumiram.

O corredor cuntinuou depois de um tempo até que outras pessoas apareceram. Como a imegem e comportamento era semelhantes aos primeiros, ou seja, eram como eles mesmos, o ladino não teve dúvidas e socou aquela espécie de vidro para que eles pudessem passar. Mal sabia o pequeno halfling que ao se quebrar os cacos do vidro penetrariam em sua mão, tornando-a quase inábil.

Após mais tempo de caminhada, outra imagem apareceu. Como já sabiam do que se tratava, Urbanus fez as vezes. Tomo uma pedra em suas mãos e a arremessou. Para a surpresa de todos a imagem do monge pegou a pedra nas mãos e a atirou de volta.

  Alguns ainda tentaram não acreditar, pensando que se tratava de alguma ilusão. Mas os golpes eram ferozes e a dor causada era diferente de ilusão. Não demorou para perceberem que estavam diante de suas próprias réplicas em uma versão maléfica. Eles teriam que "se derrotarem".

Réplicas inimigas dos aventureiros
  Todos lutaram bravamente. Urbannus se encarregou de seu rival, um algoz. O feiticeiro invocou um lobo para lhe ajudar e se valeu de sua besta para o combate. Shadow, percebendo que estava ainda muito machucado devido seu ultimo combate extra-planar, achou por bem retirar-se do combate com seu cachorro. Quem fez a diferença foi Kics, que mesmo com a aparência do monge Joseph, não economizou golpes de espada e da maça abençoada por ser deus - maça essa que recebeu um grande banho de sangue inimigo, mantendo assim suas propriedades bélicas.

  Assim que as réplicas foram derrotadas, a passagem estava livre. No final do corredor encontraram uma espécie de altar, com uma pequena caixa dentro. Shadow se aproximou mais que depressa para verificar se era algo valioso. Embora não tenha detectado nenhuma armadilha, não quis arriscar abrir e ter uma surpresa ruim. Urbannus resolveu abrir a caixa, já que não havia armadilhas.

  Ao tocar a caixa, uma onde de energia maléfica percorreu o corpo do paladino. Como ele já estava fraco devido ao recente combate, a onda foi suficiente para colocá-lo no chão, inconsciente. Kics, cheio de confiança e coragem toma a caixa das mãos do paladino caido e abre a caixa sem maiores problemas. Lá dentro ele encontra uma velha chave enferrujada. Sem nenhum símbolo ou sinal.

  O que eles farão ou fizeram depois disso eu não sei. Como sempre um fico aguardando ansisoso por novidades. Mas começa a pensar que a luta está passando a ser muito mais por sair vivo dali do que salvar seus amigos que ficaram presos.

  Mas fiquem à vontade, logo vai sair um javali assado no capricho!

1 Blá blá blá!:

Matheus(Kics) disse...

Sem mim eles não sobreviveriam!!
hahahaha.

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes