quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Escola de Heróis 17 - Novos destaques de Tarshan

 
Boa tarde, meu rei! Como tem passado? Melhorou daquelas terríveis dores de cabeça?

 Venho ao seu encontro hoje para transmitir alguns pensamentos de Ladika, o responsável pela Academia Tarshan, nossa valorosa escola de heróis. Segundo o poderoso mago, alguns alunos vem demonstrado um grande potencial. "São como diamantes brutos e temos que lapidá-los" foram as palavras do mago.

  Imaginei que ficaria feliz com a notícia, alteza. Ma continuando... para começar a tirá-los da rotina de aulas normais e intensificar o aprendizado, Ladika ordenou que três alunos fossem isoladosnuma sala mágica. Não me recordo os nomes agora meu rei, me perdoe, mas sei que são jovens e entre eles há um guerreiro, um ranger e um feiticeiro.

A sala mágica que eles entraram se tornara uma floresta. Eles sabiam que estavam ali para serem testados. Caso saíssem dali com sucesso, proceguiriam com o treinamento diferenciado.

Logo no começo, encontraram um homem circulando uma pequena mesa de pedra. Ao ser questionado, o homem diz que as inscriçoes na mesa são referente a um enigma. Assim que o enigma fosse resolvido, o teste estaria terminado. Para auxiliar na solução, deu-lhes um objeto, em forma de ponta de lança.

O ranger olhou e viu que se tratava de outro idioma. Logo depois o guerreiro e o mago perceberam que se tratava do idioma élfico e logo traduziram:

"Apareço de noite sem ninguém me chamar, saio de dia sem ninguém me notar."

 Em pouco tempo eles descobriram que se tratava de estrelas. Mas não souberam o que fazer. O sujeito que estava ali tinha desaparecido anteriormente e eles estavam sozinhos. Gritaram aos 4 ventos a resposta do enigma, mas não adiantou.

O guerreiro então percebeu que o objeto que recebera, indicava a direção norte. Para além de um rio que passava por ali. Como ficar onde estavam não parecia resolver o problema, eles decidiram atravessar o rio.

Como eles ainda são muito jovens, inexperientes, tiveram alguma dificuldade em saltar o pequeno rio. Do outro lado do riacho, encontraram vestígios de um acampamento e três corpos. Os corpos não tinham marcas de sangue ou combate. Perto dali havia uma pequena arca, um baú comum que serve para guardas pequenos objetos. O feiticeiro, curioso, ogo se direcionou para lá e abruptamente abriu o baú. Só deu para ver um objeto semelhante ao primeiro que eles tinham ganho; pouco depois ele e os outros foram abatidos por um grande sono que os fizeram dormir.

  Sim, meu rei, eles cairam em uma armadilha. Sei que lhes falta experiência, mas como narrarei adiante, você perceberá que realmente eles tem um grande potencial. Um tempo depois eles acordaram, mas os corpos não estavam mais estirados no chão, da mesma forma que o objeto não estava mais no baú.

Desconfiado do que pudesse estar aocntecendo, o ranger se separa dos dois para investigar o leito do rio. Em pouco tempo encontra uma criatura demoníaca. Ele nunca vira tal coisa antes. Era alto, com chifres, aparentava ser muito poderoso. Estar preso num tipo de gaiola era algo que parecia absurdo. Ao passar por ali, a criatura com chifres implorou por ajuda. Disse que foi presa injustamente e que gostaria de ficar livre para viver sua vida em paz.

Disposto a dar um voto de confiança para a criatura, e a correr algum risco, o ranger libertou o monstro. Agradecido, o monstro lhe entegou outro objeto, semelhante ao primeiro, que estava em posse do guerreiro.

Enquanto isso, os outros dois, encontraram 3 sujeitos conversando baixinho. Pareciam estar confabulando algum plano ou algo do gênero. Ao chegar perto, os 3 mudaram de assunto. O guerreiro pediu ajuda para solucionar o problema.

- Até podemos lhe ajudar, forasteiro. Mas vocês também terão que nos ajudar primeiro. - disse um dos sujeitos.

 Firmado o acordo de ajuda mútua, os sujeitos disseram que mais ao oeste da floresta havia um círculo mágico de invocação. Que assim que eles lessem o pergaminho que estava sendo entregue no centro do círculo, o maior inimigo deles iria aparecer e que esse inimigo deveria ser morto. Como prova da vitória, eles deveriam pegar os objetos que a criatura invocada tivesse e devolver para os três.

Assim aconteceu. O feiticeiro foi até o centro do círculo, o guerreiro se posicionou para o pior e o ranger, que estava distante, mas vendo o que se passava, se aproximou. Ao ler todo o pergaminho a criatura que surge é imponente e assustadora. O ranger a reconhece: é a mesma criatura que ele salvou da gaiola.

Ao aparecer, o ser de aparência demoníaca ainda tentou conversar, mas os poderes do feiticeiro foram mais rápidos. Logo que apareceu, o aluno de Tarshan que dominava os poderes arcanos fechou os olhos, disse algumas palavras e então suas mãos começaram a brilhar. De seus dedos saíram raios que atingiram o oponente de forma que o atrodoou. Este, buscou revidar com socos vindos de seus fortes braços, podem as luzes que o atingiram fez com que ele ficasse um pouco confuso e acabou errando seus golpes.

O guerreiro aproveitou o momento para rasgar a lateral do tronco da criatura com sua espada. O urro de dor foi alto. O ranger, que  observava tudo de longe, achou que era hora de entrar no combate. Pegou uma corda que tinha consigo e tentou prender o inimigo com ela. Sem sucesso. A desatenção causada pela corda só serviu para que o guerreiro pudesse cravar a espada no corpo daquele ser bizarro e deixá-lo estirado no chão. Ao revistá-lo, encontraram mais um objeto. Semelhante aos outros. O trio de alunos começaram a perceber que os objetos poderiam fazer parte de uma mesma coisa.

Ao voltar  para os três sujeitos que pediram a morte da criatura, logo receberam a ajuda prometida. Realmente o enigma se refere a "estrelas". Os alunos se entreolharam; afinal, isso eles já sabiam.

- Não falamos que tipo de ajuda iriamos dar. Prometemos apenas ajudar a resolver seu enigma e isso fizemos. Agora cumpram sua parte do trato e nos entreguem o que encontraram. - disse um deles.

  Embora contrariados, entregaram o objeto a eles. o que ouviram em seguida fez com que mudasse todo o rumo daquilo que planejavam fazer. De posse desse outro objeto, os alunos puderam ouvir sobre que os 3 estavam conspirando. Eles estavam procurando alguns objetos mágicos que quando reunidos poderiam lhes dar poder infinito.

Ao se darem conta que os objetos que eles procuravam faziam parte do mesmo conjunto de objetos que eles também tinham, os alunos atacaram prontamente para impedir que tal poder estivesse com eles. Para quem derrotou uma espécie de demônio, os três não ofereceram muita resistência e logo caíram derrotados no chão. Fazendo uma revista nos corpos, encontraram mais daqueles artefatos. Somando com o que eles já tinham totalizaram 5 peças.

Ao analisar o que tinham em mãos, perceberam que se tratava de um quebra-cabeças cujo resultado deveria ter alguma relação com "estrelas".

Depois de algum tempo tentando encaixar as peças, finalmente eles conseguiram. Voltaram até a pequena mesa de pedra, do inicio do teste, e perceberam que havia um espaço para encaixar a estrela encontrada no quebra-cabeças.

Ao encaixar a estrela um grande clarão tomouconta de seus olhos e logo voltaram à academia de Tarshan. Um dos professores estavam à espera com um sorriso nos lábios. Foram aprovados no primeiro teste.

Sim, meu senhor! Enquanto não temos notícias dos homens que enviamos para Kairós, aqueles ex-alunos de Tarshan, é bom termos noticias como esta. Assim saberemos que Taxo sempre estará segura com heróis sempre sendo formados! Agora com sua permissão, vou me retirar aos meus aposentos.

Tenha uma boa tarde!

0 Blá blá blá!:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes