quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Escola de Heróis 15 - Um ajudante misterioso


Saudações meu rei! Trago notícias curiosas sobre os homens enviados à Kairós.


Milagrosamente Del recobrou a consciência e Arthur se curou de seus ferimentos. Lembra, meu senhor, que após a queda da ponte de cordas eles ficaram presos num ambiente com um Dragão adormecido? Pois bem, eles se levantaram , demonstrando uma excelente saúde, e verificaram pegadas por ali. Além disso, encontraram ma corda pendurada bem no local onde eles caíram. Rapidamente Del e Arthur trataram de subir e procurar os outros.

Mas isso não é o mais curioso, meu rei! Todos os homens que estava caídos se levantaram. Sim, todos, até Bowie, o clérigo que fora morto em combate. É bem verdade que ele se levantou da morte bem diferente do que era. Parecia ter um ódio interior, além de exibir uma das órbitas oculares vazia. Eu sei que é horrendo, mas alguém arrancou o olho de Bowie. Creio que o ritual Gruunsh fora realizado. O mistério é saber quem o fez, já que os enviados que ainda estavam de pé não estavam mais no local.

Hehehe – perdoe minha risada senhor, mas é que fiz a mesma cara que vossa majestade quando soube disso. Creio que saibamos quem foi o autor de tal façanha, porém não podemos afirmar, já que não me foi dito nada a esse respeito.

Todos de pé, trataram de investigar o local e depois de pouco tempo encontraram o armário onde estava guardado os objetos dos prisioneiros. Twins sorriu ao pegar seu machado de volta, mas a alegria de Jobi foi o que mais marcou o momento, o momento que ele teve em suas mãos seus grimório.

Enquanto isso, Waters, Misha e Sharizardi desciam a escadaria de pedra. Encontraram sinais de desabamento em uma parte, pois não havia mais escada e sim um pequeno precipício por onde passava um pequeno rio embaixo. Preocupado com o sucesso do salto, Roger pediu ajudo ao monge para arremessá-lo do outro lado, que o fez sem problemas, Misha atravessou segurando em uma corda, que estava presa numa alavanca com Roger de um lado e Sharizardi do outro. Por último, O monge saltou sem problemas ou ajuda de ninguém.

Descendo a escadaria, encontraram uma grande salão subterrâneo: muitas passagens e com o teto com cerca de 12 metros de altura. O rio que outrora eles saltaram, passava por ali, mais no fundo do ambiente. Ao se aproximar do rio, perceberam que ele continuava por baixo de uma parede, mas que havia uma pequena passagem rente ao chão que poderia dar acesso à continuidade desse rio. Poderia se não fosse uma fraca barreira feita de madeira e barro que impedia o acesso. Sharizardi, curioso com o que estava por trás daquilo, socou com força a barreira, que se desfez sem dificuldades.

Pouco depois, surge na correnteza do rio, Bowie, o clérigo e Jobi, o mago. Bowie foi retirado da água em consciência, já Jobi não teve a mesma sorte e demonstrava sinais claros de afogamento. Mesmo inconsciente, foi retirado dá água e deixado em um ambiente seco e seguro. Bowie explicou que ao tentar saltar a fenda da escadaria, ambos fracassaram e caíram no rio que passava embaixo.

Ao observar a passagem, o bardo viu que tinha um ambiente do outro lado e tomou a iniciativa de ir à frente, mesmo com a água até o queixo. Foi seguido pelo monge, a ladina e o clérigo, respectivamente.

Quando estavam dentro dessa pequena passagem inundada, os outros aventureiros surgirão no salão. Entretanto a falta de cuidado fez com que o barulho acordasse algums stirges que estavam adormecidas no teto. Sim, meu rei, aquelas mesmas criaturas que lhe disse da última vez. Pois bem, até onde soube as criaturas aladas não causaram muito problemas.

Aqueles que estavam sob a passagem ficaram aguardando para ver se seria necessário alguma ajuda, mas como as stirges foram derrotadas se maiores problemas, eles seguiram em frente.

Do outro lado estava muito escuro, Roger foi o primeiro a sair da água e foi seguidos pelos outros. O cheiro de podridão, carne em decomposição e coisas do gênero era enorme. Havia muitos corpos espalhados pelo chão. O cheiro era insuportável, tanto que causou um forte enjôo em Roger e Misha. Como Sharizardi havia agüentado o fedor – talvez seu treinamento no mosteiro tenha lhe ensinado a se concentrar e resistir esse tipo de coisa – ele avançou no ambiente. Em sua frente saltou uma criatura humanóide, com cabeça de lagarto. Pelo que soube é uma espécie de réptil conhecida por Troglodita. Eram dois, um saltou de cada lado do rio, que corta aquela sala. De um lado o monge lutava com um, e do outro o clérigo Bowie mostrava sua fúria pós morte.

Misha e o bardo, como não tinham condições de lutar, tentaram verificar o resto da sala, para ver se existia mais algum perigo. Pelo visto ali existia apenas os dois trogloditas.

Os inimigos, por mais perigosos que fossem, com suas armas e garras, não foram páreos para a nova vida de Bowie. Gruunsh lhe concedeu poderes que ele nunca imaginara ter. Suas habilidades com a maça pareciam ter sido potencializadas. Dessa forma o clérigo matou um dos inimigos de tal forma que desfigurou o rosto da criatura. A cabeça foi esmagada devido aos intensos golpes de maça que sofrera. Em seguida fez o sangue do segundo troglodita jorrar, visto que o monge já havia o machucado com seus poderosos punhos.

Com os inimigos no chão, os aventureiros se puseram a investigar o local. Como a escuridão era grande, só puderam observar até o momento que o riacho formava uma pequeno lago no final do salão e parecia continuar seu trajeto adiante.

Não sei lhe dizer no momento, meu senhor, o que eles fizeram ao certo. Não sei se voltaram, se acamparam ou se exploraram melhor o lugar. Prometo procurar saber melhor da situação daqueles homens e assim que souber de mais alguma coisa eu lhe aviso!

Tenha um bom dia, majestade!

0 Blá blá blá!:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes