terça-feira, 13 de setembro de 2011

A Batalha Arcana 02 - a Descoberta da Verdade


   Minha nossa! Vocês estavam aqui de manhã quando o bardo continuou a história de ontem? Não? então sentem, que eu vou contar para vocês!



  Lembram que Kics estava com a mão no baralho, pronto para sacar uma carta? Pois bem, ele sacou.

  A carta que ele atirou no chão possuia a imagem de um druida. Assim que a carta tocou o chao, um druida com uma feição selvagem apareceu e antes mesmo que Shadow pudesse fazer alguma coisa, o ser da natureza trouxe uma muralha de espinhos rígidos que fechou o ladino junto ao guerreiro Kics. Assim que as plantas cresceram, 3 lobos apareceram ao lado do ladino, o atacando ferozmente, até ele cair inconsciente.

  É claro, que o druida, os espinhos e os lobos eram apenas ilusões, mas a maioria das pessoas que estavam no quarto não sabiam disso - ou se sabiam, viu criaturas tão reais em sua frente e preferiam não arriscar.

 Ragnak, que estava com ânsia pela morte de Kics, se viu observado por outro viajante. Como para o bárbaro, a parede de espinhos parecia real, ele não viu muitas possibilidades de ataque. Então decidiu tirar satisfação com o sujeito que estava encarando-o.

O bardo que me contou a história não soube muito bem me dizer, mas parece que o meio-orc mencionou que estava querendo matar Kics porque Kalamick, o ilusionista ordenou. Além disso pediu ajuda ao estranho. O andarilho, percebendo do que se tratava, pediu autorização para conjurar uma magia que deixaria o combate mais justo. Ragnak, pensando que ganharia mais um aliado na luta, percebeu que o homem conjurou uma magia do outro lado do quarto, onde estavam Kics e Shadow.

- Pronto! Agora o combate será mais justo! - disse o homem desconhecido

Urbanus, saiu correndo da hospedaria para tentar ficar embaixo da janela que Kics estava, impedindo que ele saltasse. Entretanto a decisão foi tardia. Com Shadow fora de ação, Kics teve tempo para dar nós no lençol da cama e usá-la de corda para descer a janela. Ragnak quando percebeu a fuga tentou impedir, mas uma força o impediu de passar para a área próxima dele. E assim o guerreiro fugiu com o baralho das ilusões.

Assim que conseguiu alguma distância, o guerreiro se livrou de um cajado com poderes mágicos. Creip que estava com medo de seguirem ele por causa do cajado também e resolveu se livrar. Assim que se viu mais seguro, usou o amuleto que encontrou com Etilaw e mudou sua aparência para um camponês qualquer. Dessa forma conseguiu abrigo em outra hospedaria.

Friderich tentou segui-lo sem sucesso, enquanto Ragnak passava a madrugada toda em frente a academia arcana esperando ela abrir. Todos os outros tiveram um tranquila noite de sono depois do episódio.

Ao amanhecer, Kics buscou ajuda de um clérigo em templo que tinha por perto. Explicou a situação para o crente, que o curou de seus ferimentos. Já o meio-orc, entrou para falar novamente com kalamick.
O mestre da ilusão parecia impaciente com tantas visitas e essa impaciência refletiu no tratamento com o bárbaro. Ragnak por alguns momentos chegou a ter vontade de agredir o mago, afinal quem ele pensa que é para falar desse jeito? Entretanto, a vontade de derramar o sangue de Kics era maior, muito embora o bárbaro saiba que o guerreiro seja (ou foi) seu amigo.

O bardo que contou a história disse que esse encantamento é tão forte que se assemelha a uma maldição. O pequeno Gnomo com sua música trouxe versos que explicava que a maldição é semelhante à paixão impossível: você pode até saber que é errado ou impossível, mas continua a desejar o ser amado. Dessa forma era Ragnak. Sabia que Kics um dia foi seu amigo e que era algo ruim ter que matá-lo, mas a sede de sangue não diminuia.

Cheio das respostas do mago, o meio-orc decidiu visitar Lânia em Ithil. Ramza o auxiliou no ritual. Em Ithil, ele se mostrou perdido nas perguntas. Creio que também não aproveitou como pode a aportunidade. Na verdade, pouco antes de sair da cidade da sabedoria, ele conseguiu descobrir o motivo da rivalidade entre conjuradores e ilusionistas.

De acordo com Lânia, há muito tempo atrás, os conjuradores eram os responsáveis pela academia arcana de Martan. Garru era a líder, e como boa líder, organizava tudo para que todos os alunos aprendessem magias de todas as especialidades arcanas. Ou seja, havia magos de todas as linhagens de poder. Entre eles estava Kalamick, que com truques sujos, fez com que parecesse que todos os magos estivessem planejando para tomar o reino.

O rei, revoltado, expulsa todos os magos da academia e do reino de Martan, e nomeia Kalamick para líder escolar arcano. Garru jura vingança pala traição, e com ela os mestres de outras linhagens arcanas. Desde esse dia, a maioria dos professores da escola são ilusionistas, e os poucos que restam de outras especialidades, estão saindo pouco a pouco.

Sendo assim, com a ajuda de Lânia, Ragnak decidiu pedir ajuda dos conjuradores para derrotar Kalamick, mesmo que esse pedido possa lhe causar problemas, já que, em outro momento Ragnak ajudou a matar vários magos conjuradores.

Ao falar para os outros tudo o que soube, decidiram ir ao encontros dos conjuradores. Frederich e um dos feiticeiros decidiram falar com o Mestre ilusinista novamente. O lider da escola arcana se mostrou mais impaciente que a primeira vez. Ao pedir ajuda, Frederich recebeu um amuleto de Kalamick - mas não percebeu o sorriso de canto de boca que o ilusionista deu.

Preparados para a viagem de algumas semanas, todos colocaram o pé na estrada. Enquanto isso, Kics anda desnorteato pelo reino, disfarçado graças ao amuleto.

0 Blá blá blá!:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes