quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Escola de Heróis 12 - Dominação orc e o mal no subsolo



Com licença meu senhor, trago notícias!


 Imagino que vossa majestade esteja ansioso para saber o que aconteceu com os dois jovens guerreiros que foram expulsos da academia arcana que caíram na ponte, dentro da colina Kairós.
  Pelo que soube a queda foi forte e se não fosse a água de um lago que tem lá, eles possivelemente teriam morrido. Fracos, Del e Arthur e levantaram e foram caminhando em busca de uma saída. Atravessaram uma pequena ponte, mas quando viram a segunda ponte perceberam que o perigo era iminente. A ponte era presa com colunas de rocha até o teto, entretanto essas colunas pareciam muito frágeis. Receoso, o guerreiro saltou por cima da ponte. Seu impulso vou tão grande que nem deu para perceber que ainda estava de armandura.

Sim meu rei, o medo é um excelente estimulante. Já Del não tinha tanta confiança em seu salto. tentou arremessar um arco para Arthur, mas o nó se desfez no arremesso e o arco se perdeu na correnteza do pequeno rio abaixo da ponte. Depois de alguma tentativas, Del conseguiu com que Arthur estivesse segurando a outra ponta. Tomou distância e pulou, certo de que se caísse na água seu amigo o puxaria.

Entretanto meu rei, esses jovens não têm vivência para tais perigos. Creio que Ladika não tenha ensinado essa lição a eles. O fato é que Del saltou e caiu bem no meio na ponte, e com o impacto, as colunas sederam e desabou parte do teto dali. Arthur foi atingido por algumas pedras, mas resistiu. Já o druida, recebeu um grande pedaço de rocha em sua cabeça que o desacordou.  Dessa forma ele caiu no rio e aos poucos foi se afogando.

Assim como sua feição demonstra, fiquei muito preocupado ao saber disso. Embora eles não tenham sido muito honrados em alguns momentos, o druida é muito jovem para morrer... sobre tudo dessa forma.
Arthur com medo de se afogar, devido à sua armadura, tira ela o mais rápido que pode e se jogou nas águas daquele ria para poder salvar seu amigo. Graças às suas experiências em sobreviver em situações críticas, Arthur percebeu que o homem da natureza tinha engolido muita água e só havia um jeito de salvá-lo. Rapidamente ele tira seu colega morimbundo da água e o posiciona de tal forma que ele possa forçar as águas armazenadas nos pulmões de Del a sair. E assim o fez.

Del demosntrou sinais vitais, mas ainda estava desacordado. Enquanto deixava seu amigo descansar, Arthur tenou dar uma caminhada para verificar se há alguma saída. O que ele viu e escoutou foi tão assustador que ele decidiu voltar e ficar ao lado de Del. Uma criatura dormia no lago. Era um reptil, grande, com uma respiração forte. O guerreiro não consegui identificar a criatura, mas não quiz arriscar nenhuma imprudência, afinal, agora ele estava sozinho ali.

  Já do lado de cima, com os aventureiros que conseguiram atravessar a ponte, mais uma vez eles encontraram um acampamento orc. O combate foi sangrento e alguns dos aventureiros caíram inconscientes. Entretanto poucas vezes eles presenciaram tanto sangue orc sendo jorrado dos corpanzis grotescos.

 Misha, habilmente, se desvencilhou dos ataques e acabou encontrando uma prisão bem rústica. Lá encontraram alguns conhecidos como Jobi e Twinsmate. Além deles, ganharam novos companheiros quando os ex-prisioneiros viu o sangue orc pelo chão. Uma paladina, um ranger e um bárbaro se uniram à eles.

  Com algum espaço para investigar, eles se dividem e procuram por informações ou alguma coisa que poderia ser útil. Em pouco tempo encontraram o que provavelmente era a cozinha dos orcs. Graças ao fogo colocado para preparar carnes que estavam ali, uma grande quantidade de fumaça era produzida. Graças a uma pequena chaminé todos não ficaram asfixiados ali. O ranger, novo no grupo, logo rastreou pegadas de um humano que saia da cozinha e ia até o acampamento orc e depois sumia. Além disso, não descobriram nada ali.

Jobi percebeu que um dos corredores fora lacrado pelos próprios orcs, com entulhos e madeira e sacos de grãos. Misha, Roger ente outros, encontraram uma pequena passagem que de tão pequena talvez era pra os orcs não passar. Entraram no estreito corredor, mas para a frustação de todos, ele não levava a lugar nenhum.

  Bowie, que com sua maça iluminada - não meu rei, nao iluminada de poderes divinos, mas iluminada porque o clérigo conjurou a magia luz em sua arma. Retomando, ele encontrou algumas portas e passagens.
  Misha, encontrou um pequeno tesouro entre os saques guardados dos orcs e logo depois vou conferir uma das portas encontradas pelo clérigo.

Destemida, ela abriu a porta e acabou encontrando quatro orcs limpando suas armas. Com um salto mortal para trás, ela saiu corendo na direção oposta. Para sua sorte, Bowie, Roger e Twinsmate estavam por lá e deram conta dos dois orcs que a seguiram.
Seguindo as descobertas, uma nova estátua de Moradin, o deus anão, guardava uma pequena sala que continha uma porta. Como já havia sido descuidada uma vez, Misha investigou o local e encontrou uma armadilha poderosa. Usou de suas habilidades e depois de algum tempo ela estava desarmada.

Bowie então tomou a frente dessa vez e abriu a porta com força. Dentro do ambiente encontrou mais quatro orcs e um que parecia maior. Na verdade parecia ser o orc que eles deixaram fugir num combate antes de alcaçar a colina. O susto foi grande e ele fechou a porta como pode, avisou a todos e se posicionaram para a investida de orcs - que não aconteceu. Ao contrário do que imaginavam, os orcs ficaram esperando.

Nossos conhecidos, meu rei, pelo que soube, respiraram fundo e invadiram a sala. Um a um foram entrando e desferindo golpes. É bem verdade que Roger, com sua música, encantou dois dos inimigos. Twinsmate, Bowie entre outros, usaram de toda sua perícia com as armas para eliminar aqueles orcs.

Pelo que soube inclusive, meu senhor, a pequena halfling e seus saltos acrobáticos, conseguiu derrubar sozinha um daqueles grandalhões. Dizem que seus golpes são mortais quando desferidos nas costas do oponente. Depois de matar um dos inimigos e perceber que a luta estava ganha, ela saiu para investigar o ambiente. Enquanto o sangue jorrava a pequena ladina procurava algo nas paredes.

Creio, vossa majestade, que é porque o grande orc, que estamos supondo que seja o lider, não estava mais na sala quando eles invadiram. Ela sismou que havia uma passagem secreta ali. E havia. Ela encontrou assim que o corpo do último orc foi ao chão. Como já tinha encontrado o ponto de fuga do grandalhão, ele decidiu dar uma olhada pela sala e rapidamente encontrou um pequeno baú com alguma soma em dinheiro - que Roger insistiu para que ela repartisse com todos.

Não sei ao certo se ela repartiu meu rei, mas sei que meus informantes não souberam me dizer se eles entraram pela pasagem secreta ou não. Vou apurar melhor os fatos e assim que souber de mais alguma ocoisa eu lhe aviso.

Com a sua licensa, majestade!

0 Blá blá blá!:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes