quinta-feira, 16 de junho de 2011

Escola de Heróis 05 - Em busca dos animais desaparecidos



Bom dia vossa majestade. Trago informações dos antigos alunos de Tarshan.


Logo após o afastamento dos envolvidos na morte de Corella, Roger voltou até a caverna do ocorrido e com seus poderes curou os ferimentos do clérigo Bowie e esse assim que levantou tratou de curar os ferimentos de Del e Thrall. Roger deciciu montar um acampamento ali na caverna mesmo para descansar um pouco da batalha que há pouco travara.

Bowie, Del e Thrall seguiram para fora da caverna na tentativa de descobrir algo mais.
O que eles não sabiam é que Misha estava logo atrás dele. Sim majestade, Misha, aquela halfling daquela outra história. Concordo, também fiquei apreensivo quando soube que ela estava por lá. Mas não podemos fazer nada além de orar e esperar.

O fato é que os três aventureiros foram caminhando floresta adentro e a pequena ladina seguia atrás.
Depois de algumas horas de caminhada eles avistaram uma nuvem negra sobre algums árvores distantes. Isso chamou a atenção daqueles heróis meu rei, porque era um belo dia de sol sem nuvens.

Se dirigindo para o local sob as nuvens, eles encontraram algo que fez Bowie sentir um frio percorrer sua espinha. Eles avistaram Norug, a vila fantasma!

Bowie ouvira quando era pequeno de um vilarejo fantasma, vítima de uma maldição. A lenda dizia que o vilarejo era itinerante... surgia e desaparecia sem deixar rastros. Além disso, quem encontrasse Norug, é porque está com o encontro marcado com a morte.

A paliçada que protegia a vila era toda feita de ossos. Crânios, costelas, ossos de todos os tipos formavam o muro que separava a parte interna e externa do lugar.

Em um ponto era possível ver um tipo de posto de guarda, com um grande ogro. Bowie e os outros foram até lá, enquanto Misha os seguia com os olhos.

Lá eles descobriram que para entrar teria que pagar um tributo de sangue, derramado pela própria arma, e deixar todos os armamentos na entrada. Sem pestanejar os aventureiros o fizeram e entraram.
Curiosa, Misha sai de seu esconderijo e resolve entrar também, pagando o tributo de sangue.

Lá dentro eles se encontram e vão até um pequeno mercado. Numa tentativa (frustrada) de conseguir informações úteis, Misha não resiste e rouba um pedaço de tecido da mercadora. Os três ficaram sem saber se a companhia da ladra era algo bom ou ruim: ruim pela atitude e bom pela capacidade de fazer tal ato com tanta maestria.

E pouco tempo encontraram a casa do lider da vida, Lortek. Sim meu rei, o mesmo Lordek daquele episódio há alguns anos. Ele está envolvido na maldição de Norug. Concordo com vossa majestade que ele costumava ser uma boa pessoa, mas amaldiçoado, sendo um morto vivo, versado nas artes necromantes, tenho minhas dúvidas se eles encontraram boa companhia.

Em poucas palavras Lortek disse que poderia ajudar a encontrar Epitácio. Que assim como os 3 aventureiros, ele também o queria morto. Mas para ajudar, com a informação do paradeiro daquele necromante outrora dado como morto, ele precisaria de algo valioso. Propôs uma troca: a informação do paradeira por um objeto valioso ou poderoso que eles pudessem oferecer.

Rapidamente os 3 amigos lembraram do cajado necromante que Ladika havia os presenteado. Pediram licença para Lortek e sairam. Misha ficou par aconversar mais com o lider da vila. Interessada e sem muitos vínculos com os aventureiros, parecem que fizeram um tipo de acordo meu rei. E esse acordo foi firmado com um colar que Lortek colocou em Misha. Pelo que soube o colar ao tocar a pele da halfling queimou como o fogo mais forte e acabou penetrnaod em sua pele, como se fizesse parte do seu corpo. Para quem olha, deve lembrar uma tatuagem. Misha se sentiu muito bem com aquele amuleto, mas não descobriu o porque exatamente dele. Para se certificar que Lortek teria o seu prêmio, ela retorna ao encontro dos outros que estavam se dirigindo à caverna.

Na caverna, Roger havia preparado tudo para ficarpor ali durante a noite: fogueira e uma cama improvisada. Quando os três retornaram, começaram uma discussão do que fazer: ir atrás dos animais sumidos, ir atrás de Gauss, atr´s de Epitácio com ajuda ou sem... descobrir quem era Lortek.... Entre tantas discussões quem estava inconsciente levantou graças às magias de cura do clérigo e pouco depois todos adormeceram para esfriar os ânimos.

No outro dia bem cedo, caminharam em busca de alguma pista sobre os animais desaparecidos. Novamente encontraram a vila fantasma. Numa tentativa frustrada, Misha saiu por entre as árvores para não ser vista, mas o arqueiro Dante com o objetivo de pará-la mirou bem na parte de trás do seu joelho esquerdo. Devo dizer meu rei que por muito pouco ele errou, e assustada com o ataque Misha parou e tentou se explicar.

Segundo ela, ela iria avisar Lortek para não ser ofensivo contra os novos visitantes, pois Bowie, Del e Thrall saíram para trazer algum objeto valioso e voltam com mais guerreiros, é no mínimo estranho. Roger concordou com o raciocínio dela, mas não muito seera o melhor a ser feito.

Sem muita paciência, Dante subiu em uma árvora próxima e iniciou a disparada de flechas contra o ogro que protegia a entrada. Misha ao ver que haveria luta, entrou correndo, pagando rapidamente seu tributo de sangue.

O guardião embora com um corte no braço feito pela flecha de Dante, não manifestou desejo de combate. Ainda tentou conversar. É meu senhor, é estranho um ogro argumentar, mas provavelmente ele estava sob o domínio de Lortek. A tentativa de conversa foi em vão. Del começou a invocar a ajuda de um grande urso negro e Thrall partiu numa investida desastrosa contra o ogro.

A criatura bizarra carregava consigo um grande machado duplo, e com poucos golpes deixaram o bárbaro no chão inconsciente.

Em pouco tempo todos estavam num combate franco, sem muitas estratégias. O urso invocado por Del se encarregou de ficar bem na frente do guardião e desferir várias patadas e mordidas. Waters com suas músicas, fez com que o ogro ficasse atordoado, gerando a possibilidade de muitos ataques desferidos sem chance de revide.

Ao acordar, desesperado com tantos ferimentos, o ogro busca infligir um golpe com toda a sua força, mas por algum motivo - talvez o sangue escorrendo pelos braços e chegado até a mão - fez com que seu grande machado caísse no chão. Ele ainda tentou agarrar Arthur para usá-lo como escudo, mas não foi capaz.
As flechas e golpes de espada, machado e mordidas do urso estavam fazendo com que a vida do guardião se esvaísse. Percebendo a derrota ele bateu em retirada para dentro de Norug, fechando a entrada.

Enquanto toda a batalha estava acontecendo lá fora, Misha tentou falar com Lortek, que se trancou em seus aposentos para se preparar para o combate. Sozinha, ela buscou refúgio na grande biblioteca da cidade.

Sim meu rei, a famosa biblioteca de Norug, onde os mortos escrevem seus conhecimentos há muitos anos. Mas lá não havia ninguém. Temendo que não fosse um bom esconderijo, Misha se escondeu no alto de uma árvore perto dacasa do lider da vila.

Sem saber muito bem como entrar, pois a porta que havia tinha sumido, Bowie tentou o que nahora pareeu lógico: se para entrar tinha que pagar um tribute de sangue, talvez essa fosse a solução do problema. E assim o fez. Com um pequeno corte na mão, Bowie encostou no que agora era apenas uma parte da paliçada e uma porta se abriu. Os outros, sem entender nada, viu apenas o clérigo entrando em uma parede.

BVendo a necessidade de entrar para resolver as diferenças com Lortek, todos pagam o tributo de sangue e entram em Norug. Ao entrar se dão conta que estão sem suas armas. O medo foi uma constante em todos quando perceberam isso.

Firmes em sua decisão, todos se dirigiram até a casa de Lortek. Misha via tudo do alto da árvore.
No aposento em que se encontrava o lider morto-vivo, eles decidiram conversar - creio que a falta de armas faz com que as pessoas fiquem mais educadas meu rei.

Conversando com Lortek os heróis perceberam que é uma grande rixa entre ele e Epitácio. E que algum dias eles até foram companhieros. Lortek não entrou em detalhes, aliás, tratava os antigos estudantes de Tarshan com um certo desprezo. A proposta de Lortek era simples: o cajado necromante de Ladika - que não era mais segredo em troca da localização de Epitácio.

O desaparecimento dos animais não foi mencionado, mas acredita-se que se houvesse algo seria dito. Temendo que Epitácio os encontrasse numa emboscada, os aventureiros aceitam a troca. Dessa forma eles poderiam pensar numa emboscada para o primeiro inimigo. Lortek ainda disse que Misha poderia ajudar, pois havia lhe dado um presente.

Assim que pegou o cajado necormante de feito por Ladika, o senhor dos poderes necromantes, lider do local solta uma risada alta e diz:

- Enfim... o cajado feito co ma magia de Ladika! Isso me dará um grande poder e vai adiantar meus planos!

Dito isso ele sumiu como fumaça da frente deles.

Temerosos pela fala de Lortek, todos saem da casa e encontram Misha do lado de fora! Conversam um pouco mas decidem sair da vila. Assim que colocaram o pé do lado de fora, a vila também sumiu, como Lortek, do nada. As armas estavam jogadas por perto, no chão.

Decidiram então levantar acampamento para descansar. Afinal, o ogro deixou marcas nos corpos dos heróis. 

Enquanto estavam deitados imagino o que devia passar pela cabeça deles meu senhor: Não confiar em Misha, pois ela não deu motivos para isso; mas não tê-la como inimiga.. afinal, não se sabe o que é aquele amuleto, além dela conseguir se esconder com alguma facilidade e eficiência.

Ahhh.. se eles soubessem do passado dessa halfling não é verdade meu senhor. Entendo que todos podem mudar um dia, mas será que esse é o caso?

0 Blá blá blá!:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes