terça-feira, 19 de abril de 2011

Em busca do fruto da vida - Parte3



Pois bem homens se reúnam aqui. Não quero ficar repetindo essa história.


Lembram os homens que foram atrás do fruto da vida na Cidade sem sol? Então, fiquei sabendo mais de suas aventuras.

Depois que o ladino tomou aquela bebida avermelhada, toda a turma resolvei seguir em frente, por um corredor com portas dos dois lados. Pelo o que e foi descrito, imagino que seja como o corredor de uma prisão. O fato é que os heróis abriram as portas todas. As primeiras estavam vazias, o que fez com que fossem displicentes. Em algumas das portas havia moradores: ratos gigantes que atacaram ferozmente. Felizmente as batalhas não duraram muito. Com poucos golpes os ratos jaziam no chão. O que achei um tanto quanto estranho foi o feiticeiro querer desferir golpes de lança ao invés de usar seu conhecimento mágico. Sei lá né? Acho que ele viu tomo mundo tirando sangue dos bichos na lâmina e acabou tentando também!

Para a surpresa dos heróis, havia muita coisa valiosa nos ninhos desses ratos. O aventureiro que me contou essa história me disse que já encontrou vários desses ninhos e que é assim mesmo: os ratos juntam o que encontram pela frente, principalmente o que fica com suas vítimas. Depois de um tempo o ninho desses animais passam a ser bem valioso.

Logo após o corredor, encontraram uma grande sala com algumas armadilhas já acionadas. os corpos ainda estavam apodrecendo no fosso que abrira no chão. Ainda na sala, também encontram uma fonte seca, semelhante a que encontraram anteriormente. Preocupados com o que pode acontecer, decidem verificar a fonte depois e partir para o cômodo ao lado.

Depois de discutirem como fariam, o bárbaro chuta a porta com toda a força que conseguiu, partindo-a e pedaços e em seguida se esconde esperando um possível ataque. O que encontraram foi silêncio. Não querendo esperar o outro bárbaro invade a sala. O que ele não esperava era que grandes ratos estivessem na espreita. O ataque de três ratos foi fulminante. O bárbaro caiu inconsciente. Mais que depressa seu companheiro Ragnak - o bárbaro que chutou a porta - foi até ele e deu o líquido vermelho que fora recolhido no cantil na esperança que recuperasse a consciência como aconteceu com o Ladino Shadow.

Eu acho engraçado quando bárbaros sanguinários se atrevem a utilizar poções que não conhecem. Normalmente não dá boa coisa. O fato é que o moribundo em questão voltou à consciência sim, mas como a bebida desceu lhe fazendo muito mal, produziu uma ânsia de vômito. Seria um vômito comum, se o que tivesse produzindo não fosse uma poção de sopro do dragão. Quando não se conteve, o bárbaro soltou uma forte baforada de chamas, que acabou machucando um pouco seu parceiro.

Assim que os aventureiros tomaram conhecimento das ratos, logo mandaram todos eles para outro plano - o dos mortos. Dessa forma puderam observar melhor um grande ninho com muitos entulhos e corpos em decomposição. Como qualquer aventureiro, eles foram procurar algo para saquear. Novamente foram pegos de surpresa. A grande ratazana mãe saltara dos entulhos pronta para defender seu ninho.

Talvez ela seja o inimigo mais perigoso que eles já enfrentaram desde que desceram até aqui. Entretanto a experiência e habilidades adquiridas durantes esse combates contra ratos conferiram aos heróis alguma vantagem. Vantagem essa que rendeu uma morte rápida à grande ratazana.

Com ela morta, os aventureiros se dedicaram à arte do saque. Saquearam o que encontraram - e parece que não foi pouca coisa.

Repito: tomara que eles venham aqui na taverna deixar um pouco desse tesouro em troca de uma boa cerveja.

Encontraram por ali, um dos aventureiros que desceram numa equipe antes deles. Eu me sentiria intimidado, mas o corpo daquele ranger parece nem ter abalado eles.

Como não havia mais portas, os heróis decidiram voltar e verificar o que deixaram para trás. Num lampejo de lucidez, o clérigo Ramza decide tirar uma dúvida. Ele e seus amigos voltam até a porta que estava junto à primeira fonte - sim, aquela que colocou o ladrãozinho para dormir. Lá o clérigo descobriu que a tranca era mágica, uma espécie de maldição, e como para abrí-la tinha que canalizar o bem, ele conjurou a "expulsão dos mortos vivos" na porta, que resultou na sua abertura.

Lá dentro, uma espécie de altar em homenagem aos dragões. Cinco sarcófagos de nobres elfos também estavam ali. Cuidadosamente todos os sarcófagos são abertos e então os aventureiros se certificam que ali há apenas esqueletos. Sem ameaças aparentes, o guerreiro anão vai até o altar e encontra uma vela, uma espécie de apito e uma poção.

Desde pequeno me ensinaram a não mexer em altares. Com coisas sagradas não se brinca. Mas parece que o anão não teve essa lição e pegou o que pode. Assim que o primeiro item saiu de cima do altar, os esqueletos ganharam vida. Rapidamente dois foram derrotados pelos homens que estavam atentos ao possível combate. Num ato de desespero, preocupado com o que fizera, o anão sopra o apito, e descobre que aquele objeto tem em si um poder necromante: comandar mortos-vivos. Ao soprar o apito, os três esqueletos restantes param de fazem reverência ao anão.

Com as ânimos abaixados, Ramza, o clérigo, auxilia o anão a descobrir o que é a poção que pegou e aquele apito. A poção foi fácil identificar. Era uma poção de resistência ao elemento do fogo. Já o apito, que mais parece uma ocarina, pois é entalhado em forma de um dragão enrolado em caracol, foi possível descobrir um pouco dele com a inscrição que havia na parte de baixo: "Azan-Gund" ou "Chamariz da Noite" no dialeto anão.

Depois disso o sujeito que me contou a história foi embora. Ele arrumou uma garota e saiu com ele. Entendo ele. Mas que eu fiquei curioso eu fiquei. Se tem outra coisa que aprendi desde cedo é: Necromancia é perigosa. Se bricar com a morte ela vai cobrar seu preço. Esse apito anão deve ter algo mais que não deu tempo do aventureiro me contar...

Quem sabe amanhã ele volta?! Enquanto isso vamos beber e imaginar o que vai ser daqueles aventureiros...

5 Blá blá blá!:

Ragnak disse...

lol tomei uma baforada na cara q triste isso GRR

Kics disse...

Vixi pelo jeito vai demorar para sair uma que estou participando. :(

Ragnak disse...

relaxa ai kicks vc aparece maios por enquanto so os mais veio de casa xD

bardo amaldiçoado (gustavo) disse...

vixi tah mto longe !! eu nao vou aparecer nunca !!! eu ri com as trapalhadas do ragnak !! mais uma vez

Ragnak disse...

só me do mal nisso xD massa pakas

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes