quarta-feira, 9 de março de 2011

Diário do jogo Online do Clérigo 12

Para não perder o costume, aqui vai mais um diário de campanha, da nossa jogatina do último sábado. A sessão foi marcada pelo longo planejamento de um ataque a bandidos que assolavam uma estrada por onde o grupo deve passar. E você pode conferir os diários anteriores aqui.

____________________________________________________________
Em primeiro lugar, os jogadores estão de parabéns, pois a primeira hora de jogo foi perfeita para mim, o mestre. Eu não precisei fazer ou falar nada. Os jogadores assumiram seu papel e planejaram suas ações nos mínimos detalhes, pesando os prós e contras de cada decisão. Depois de uma hora eles decidiram partir para a ação e eu pude ajudá-los de alguma maneira.

Como essa parte do planejamento foi muito interessante, optei por disponibilizar aqui os diálogos na íntegra, desde o início da mesa até a hora em que os personagens decidiram o que fazer. O único cuidado que tive foi corrigir alguns errinhos de digitação e agrupar as falas de um mesmo personagem quando estas vinham em sequência.

O planejamento
[Mestre] Vocês estão na taverna do pequeno vilarejo de Haltsburg onde acabaram de conhecer um aventureiro chamado Limpeon. Vocês conversaram com ele sobre a viagem que estão fazendo até a floresta Kardim, e ele informou-lhes que há bandidos na estrada, e que ele estaria disposto a seguir com vocês se o ajudassem a combater os ladrões, que haviam matado seu pai. Vocês agora estão planejando como fazer para atrair a atenção dos ladrões e realizar um ataque surpresa.

[Athos] Então, devemos pensar muito antes de fazer algo muito arriscado... o que me diz, Iantumal?

[Iantumal] Hmmm (coça a barba) jovem Limpeon, você que parece conhecer tão bem essas terras...

[Limpeon] Sim.

[Iantumal] Sabe quantos ladrões são? Qual o tamanho do grupo deles?

[Limpeon] Não os conheço bem, mas o taverneiro disse que são em torno de 15.

[Iantumal] QUINZE? - berra o anão!

[Mestre] (várias pessoas na taverna param a conversa e olham para o anão...)

[Iantumal] Eu esperava bem menos... eu estava pensando em seguir numa carroça, com Miriam...afinal, eles não iriam saquear um anão clérigo...ou iriam? E vocês viriam logo atrás, se embrenhando na mata, mas sem nos perder de vista e poderiam fazer um ataque surpresa, mas me parece muto arriscado.

[Athos] Ah, esses bandidos são inescrupulosos... acho que atacariam qualquer pessoa...

[Cerdic Bradford] De fato...são muitos ladrões.

[Limpeon] Mas pelo que combinamos, Miriam ficaria aqui. Você conduziria a carroça e nós iriamos escondidos nela.

[Athos] O que nos leva à questão do ataque surpresa... (fala baixo, tentando ser cauteloso com possíveis estranhos que possam estar ouvindo)

[Iantumal] Hmmm -coça a barba e resmunga baixinho.

[Limpeon] Quando lhe atacassem, pensando em roubar o seu "carregamento", nós os contra atacaríamos.

[Cerdic Bradford] Em primeiro lugar, creio que o "ataque surpresa" não terá o efeito desejado. Eles são quinze homens armados, lembrando que eles estão preparados para qualquer coisa. Se eles vêm atacando caravanas há muito tempo, sua cabeça já deve estar à prêmio, e eles devem saber disso.

[Limpeon] Bom, então em que mais você consegue pensar?

[Athos] E se nosso amigo clérigo se fizesse passar por um mago poderoso, para intimidá-los? Magia é a mesma coisa para olhos leigos... seja ela divina ou arcana, eu acho (meio confuso com assuntos que desconhece)

[Iantumal] (Iantumal parece incomodado com esse comentário...) Não creio que isso os espantaria e quando eles percebessem a "farsa" eu estaria muito a mercê de seus golpes...

[Limpeon] Bom, não acho que seriam leigos a esse ponto.

[Cerdic Bradford] Mesmo nessa taverna *olha em volta rapidamente, após, baixa o tom de sua voz* pode ter um informante... As redes criminosas desses lacaios podem superar nossas expectativas... É arriscado o combate aberto, mas também é arriscado emboscar salteadores.

[Athos] É, vocês tem razão...

[Iantumal] E se fingíssemos precisar dos serviços daqueles ladrões? Será que encontraríamos algum informante que poderia nos levar a algum local em que eles possam estar? Talvez assim pudéssemos ter a vantagem do ataque surpresa, pois atacaríamos quando eles estivessem desarmados. O que acham?

[Athos] Parece uma ótima idéia! Mas não creio que eles levariam a todos nós a seu covil... creio que deixariam apenas um entrar, isso se deixarem.

[Limpeon] Não creio que essa escoria ficaria desarmada em algum momento... como eles gostam de enganar, suspeitariam que estaríamos enganando

[Athos] Provavelmente..

[Limpeon] Um de nós poderia até ir, e quanto aos outros, seguiríamos até a entrada sem sermos vistos.

[Iantumal] Sim! Concordo com Limpeon...

[Cerdic Bradford] Humm.

[Athos] Parece que estamos chegando a um acordo então...

[Limpeon] Mas quem iria? Alguém disposto?

[Cerdic Bradford] Não que algum de nós precisasse de um serviço...

[Iantumal] De qualquer jeito, também não precisaríamos atacá-los, apenas sabotá-los, prendê-los em algum lugar...

[Cerdic Bradford] Eu acho que se um de nós quisesse ingressar no grupo de ladrões... seria uma idéia melhor. O falso poder que eles estão desfrutando, roubando caravanas, deve ter subido às suas cabeças... E quanto mais poder se tem, mais poder se quer.

[Limpeon] Não acho que iriam aceitar novas pessoas.

[Cerdic Bradford] No que baseia essa suposição, Limpeon?

[Limpeon] Um grupo de gananciosos, um grupo por volta de quinze pessoas que tem conseguido roubar sem serem pegos, pra que iriam querer mais um pra dividir se eles estão indo tão bem sozinhos?

[Iantumal] Senhores, todo ladrão a noite tem uma "casa" de dia, esses larápios nunca foram caçados antes por um grupo, acho que podem estar vulneráveis!

[Cerdic Bradford] Iantumal está correto... Mesmo que bandidos não baixem a guarda em suas áreas de atuação, deve ter um local de descanso para eles.

[Athos] Podem até estar aqui perto de nós neste momento... (fala baixo) Mas não me parece má a idéia de juntar-se a eles.

[Cerdic Bradford] O grupo deve ter um mandante... A total anarquia faria com que esse grupo não durasse tanto tempo. Tens conhecimento de algum chefe desses chacais, Limpeon?

[Limpeon] Acho que devem ter um chefe sim, mas não tenho nenhuma ideia.

[Iantumal] Poderiamos ver se tem alguma caravana indo pela floresta e ficar a espreita para ver se conseguimos ver o ataque deles e se conseguimos segui-los...

[Limpeon] Atacá-los em seu momento de descanso realmente seria bom.

[Cerdic Bradford] Se os atacássemos em sua "casa", o grupo estaria fragmentado, certamente um pequeno grupo estaria abordando caravanas e outro de vigia, enquanto um último esticava às pernas à borda de uma fogueira...

[Limpeon] O Taverneiro já informou que não há nenhuma caravana para amanhã...

[Cerdic Bradford] E será que os larápios tem conhecimento disso?

[Iantumal] E se plantássemos a noticia de que terá uma caravana!

[Athos] Poderia funcionar...

[Limpeon] Essa era a idéia...  a sua carroça, e você ou outro de nós fingindo levar alguma coisa, os outros escondidos na carroça, debaixo de algo ou andando um pouco atrás de você.

[Athos] Ou uma "caravana invisível", que eles acreditariam estar partindo, e certamente armariam uma emboscada. A caravana inexistente não chegaria e eles ficariam confusos. Teríamos assim bastante tempo para encontrá-los.

[Iantumal] Sim, Athos, sim... precisaremos apenas pegar eles de surpresa na mata. Athos, você conseguiria entrar na floresta e tentar descobrir o acampmento deles? Sem ser visto?

[Athos] Creio que sim... afinal vivi na floresta uma boa parte de minha vida.

[Cerdic Bradford] *Cerdic voltava a tomar seu vinho, acompanhando a conversa atentamente*

[Iantumal] Sei que pode parecer um pouco suicida, mas Miriam está lá em cima sofrendo e precisamos ser rápidos, então, me disponho a "ser uma caravana" e contar com a sorte e com a benção de Rhiw para que os ladrões não me maltratem e deixem este clérigo anão em paz.

[Limpeon] Então, enquanto eles esperam a caravana nós podíamos nos posicionar de forma a segui-los até o esconderijo ou tentar encontrar o esconderijo e esperar lá.

[Iantumal] Viajar em paz... vou na frente com a carroça. Athos vai pela floresta e os outros seguem mais atrás até verem que eu fui emboscado e param. Caso eles me deixem passar, ou me saqueiem, ou até me levem junto, Athos os segue pela mata, identifica o local, volta até vocês, e vocês os atacam quando eles estiverem despreparados.

[Athos] Mas isso pode deixar Iantumal em sérios problemas... E se eles "passarem dos limites" do que foi planejado por nós?

[Limpeon] Mas você pode ser morto, a não ser que tenha algo que seja "bom" para eles, eles poderiam te levar.

[Iantumal] Sim, eu sei que posso ser morto, mas no momento não temos outra opção e Miriam está a morrer lentamente enquanto ficamos aqui conversando. Espero que Rhiw me abençoe...

[Cerdic Bradford] Mestre anão... não podemos arriscar perdê-lo... Suas bênçãos já nos salvaram inúmeras vezes...

[Iantumal] *Iantumal está decidido a arriscar sua vida*

[Athos] Podes dizer a eles, em caso de grave perigo, que há pessoas dispostas a pagar um bom dinheiro por resgate... te daria mais tempo, para que nós os encontrássemos e os capturássemos.

[Limpeon] Um de nós vai com você e o outro com Athos, não seria melhor?

[Cerdic Bradford] Minha armadura é pesada, e não seria nada sábio eu me embrenhar em matas. Eu vou contigo, Iantumal... Um ou dois, não fará diferença. Vou montado à cavalo, trajado como um camponês, escondendo minha armadura com algum farrapo e ocultando minhas armas da mesma forma... Se a coisa ficar fora do controle, lutamos.

[Limpeon] Eis uma grande ideia

[Athos] Mas ainda não concordo totalmente em levar um de nós a um quase suicídio...

[Iantumal] Cerdic, se a coisa ficar feia, estamos lascados de vez...

[Cerdic Bradford] Para isso, Limpeon estará pouco atrás de nós, no primeiro lampejo de lâminas, ele avança e nos ajuda no combate. Acho que seria o melhor à fazer

[Athos] Vocês dois apenas não venceriam meia dúzia de homens, no mínimo... Ou vocês três... Sei que são fortes guerreiros, mas números fazem uma boa diferença.

[Iantumal] Bem, por mim pode ser... não temos muitas opções no momento... eu e Cerdic, Athos na mata, Limpeon mais atrás e Rhiw nos abençoando, quem sabe tenhamos sorte...

[Limpeon] Não sabemos se eles são apenas números, eles podem também ser números fortes.

[Iantumal] Já que o taverneiro falou que não vai ter caravana talvez eles não estejam tão alertas assim e não estejam "todos" preparados, apenas alguns. O que acham? Fazemos isso?

[Cerdic Bradford] Era isso o que eu iria falar.... Quem sabe na estrada esteja apenas um pequeno grupo, para saquear viajantes mesmo.

[Athos] E é por isso que temos que espalhar esses rumores da caravana o mais rápido possível, então.

[Iantumal] Athos, não, melhor não espalhar rumores de caravana pois senão todos os ladrões ficarão atentos.... e assim, talvez apenas alguns estejam a beira da estrada e tenhamos mais chances.

[Athos] Pois é, eu não havia pensado muito bem ainda. Concordo com o plano, e que Rhîw nos abençoe, a todos...

[Limpeon] Então, se todos concordam, vamos dormir pois amanhã será um longo dia.

[Iantumal] Por mim, está combinado. Amanhã, bem cedo, levantemos, façamos nosso desjejum e vamos em frente!

A ação
Após isso, nossos bravos heróis partiram para a estrada. Athos embrenhou-se no mato e foi acompanhando o grupo o mais perto que podia. Cerdic ia à cavalo ao lado da carroça, onde estava Iantumal. E atrás deles vinha Limpeon. Já ao entardecer alcançaram o trecho da estrada comumente atacado pelos bandidos.

Dois homens encapuzados estavam na estrada e fizeram sinal para que a carroça parasse. Athos via tudo, escondido na mata. Além dos dois patifes na estrada, ele conseguiu detectar outros 5 atacantes ocultos nas árvores, colocando um deles sob sua mira.

[Mestre] [Ladrão] Alto, viajantes. Esta estrada está sob o domínio do rei Strass. E para sua segurança e a de todos os viajantes sua carga deve ser analisada e vocês devem pagar o devido imposto. Não façam nenhum movimento brusco, pois temos mais de 20 atiradores com a mira em vocês.

Limpeon, que vinha atrás do grupo, viu que a carroça havia sido interceptada e tentou entrar na mata sem fazer barulhos. Contudo, após 2 falhas nos dados, ele parecia um urso correndo desembestado no meio das árvores, fazendo um tremendo barulho e alertando assim os outros ladrões que... vieram atacá-lo!!!!!

O combate que se seguiu foi fantástico: dois ladrões cercaram Limpeon, mas se deram mal diante das investidas do guerreiro. Iantumal e Cerdic penaram para subjugar o ladrão que os havia interceptado, mas no fim do combate conseguiram imobilizá-lo, com a ajuda de Limpeon. Athos matou dois ladrões com seu arco e mais um com a espada. Todavia um dos ladrões conseguiu escapar, entrando na floresta, tendo Athos em seu encalço.

E aqui nós acabamos essa aventura, com 5 ladrões abatidos, um fugindo e um imobilizado, pronto para ser amarrado e interrogado pelo grupo. Será que Athos conseguirá encontrar o rastro de fugitivo? O que o prisioneiro dirá? E o que será feito com os pobres bandidos que tombaram em combate? Não percam a continuação na próxima semana!

0 Blá blá blá!:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes