segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Nova criatura: Ladrão-dos-sentidos

Olá, amigos. Hoje, Jacó Galtran traz mais um monstro para seus jogadores destruírem em suas mesas de jogo. As regras apresentadas são as do D&D 3.0, mas podem ser facilmente convertidas para as demais versões do jogo.

Espero que apreciem e comentem.




Ladrão-dos-sentidos

Parece não haver limites para a imaginação doentia dos necromantes e sacerdotes malignos. A mais recente prova disso é a aparição de um novo tipo de morto-vivo com habilidades ainda mais assustadoras do que as anteriores. É o Ladrão-dos-sentidos, uma criatura bizarra que lembra um zumbi.

Breve histórico: De acordo com os bardos e os relatos de conceituados grupos de aventureiros, o surgimento destas criaturas é recente – e talvez até sirva a algum propósito específico de algum necromante. O que se sabe de concreto é que estes seres conseguem, através do toque, retirar os cinco sentidos de suas vítimas. Como se não bastasse isso, são monstros de grande capacidade de combate.

Aparência: O grande trunfo de um ladrão-dos-sentidos é que eles são praticamente indistinguíveis de um zumbi comum. Só é possível identificá-los depois de eles usarem seu temível ataque que “retira os sentidos” dos inimigos. Aventureiros mais experientes já repararam que um ladrão-dos-sentidos costuma ser mais musculoso e robusto que um zumbi. Por isso, tornou-se comum entre heróis acharem que qualquer “zumbi forte” seja um ladrão-dos-sentidos.

Sociedade: É difícil ter certeza se estes mortos-vivos atuam em conjunto ou não, porque sua identificação é sempre difícil. Entretanto, as poucas vezes que essas criaturas foram realmente vistas, elas estavam em grande número e lutavam de forma organizada. Isso apenas reforça a teoria de que essas aberrações sirvam algum propósito maligno ou sejam parte de algum plano arquitetado por necromantes ou clérigos loucos.
Combate: Ladrões-dos-sentidos costumam demonstrar inteligência em combate, atacando em grandes grupos e sempre visando primeiro os adversários aparentemente mais fortes. Não usam armas, apenas os punhos – e seu temível ataque de toque.

Ladrão-dos-sentidos, Morto-Vivo Médio, ND 8, Tendência Neutro e Maligno, Iniciativa +4, Deslocamento 9 metros.
DV's 10d12, PV's 61
Força 16, Destreza 10, Constituição -, Inteligência 11, Sabedoria 14, Carisma 3.
Fortitude: +3, Reflexos: +5, Vontade: +9,
Classe de Armadura: 10
Ataques: +9 pancada
Dano: 1d6+3 e dreno de sentidos.
Perícias: Ouvir +9, Esconder-se +7, Intimidar 10
Talentos: Iniciativa aprimorada, Reflexos rápidos, Foco em arma: pancada.
Qualidades e Ataques Especiais: Qualidades de Morto-Vivo, Resistência a Expulsão +4.

Dreno de sentidos (Sob): Quando um ladrão-dos-sentidos é bem sucedido em um ataque de toque, a vítima deve fazer um teste de Vontade (Classe de dificuldade 18) ou perde um dos sentidos (jogue 1d10 para determinar qual):

1-2: Visão.
3-4: Audição.
5-6: Olfato.
7-8: Paladar.
9-10: Tato.

As perdas de sentido são cumulativas. Um sentido perdido só pode ser recuperado por magias como Cura completa ou superiores.

Ganchos para aventuras:

  • Um mago atacado por um ladrão-dos-sentidos perdeu o paladar, e pede aos personagens para o ajudarem a identificar suas poções pelo gosto. Mas tudo não passa de uma armadilha para envenená-los.
  • Os heróis participam de um torneio de lutas, pois vencê-lo é a única forma de obter a liberdade de um nobre amigo deles. Antes da luta final, o personagem finalista é surpreendido por um ladrão-dos-sentidos e perde a visão.
  • Os personagens precisam cruzar um pântano cheio de gases venenosos, mas mesmo magias de proteção não são suficientes para fazê-los suportar o mau cheiro. A única opção é achar um ladrão-dos-sentidos e perder o sentido do olfato.
  • Surge o rumor de que um amuleto mágico pode proteger qualquer um dos ataques de um ladrão-dos-sentidos. Os personagens são contratados por um nobre que quer este amuleto.
  • Presos em um labirinto terrível os heróis conseguem derrotar os inimigos. Mas antes, perderam seus sentidos. Cada um dos cinco personagens perdeu um dos sentidos. Pior que isso: cada um ficou perdido em um aposento diferente do labirinto.
  • Os personagens descobrem quem é o sacerdote que criou os ladrões-dos-sentidos. É o Rei de onde eles estão. Sua Majestade incrimina os personagens, que precisam provar sua inocência e ainda deter os planos do monarca insano.
  • Após ser alvo de uma magia estranha de um inimigo, um dos personagens descobre ser capaz de drenar os sentidos das pessoas ao tocá-las. Ele precisa descobrir como perder essa habilidade.
  • Um exército gigantesco de ladrões-dos-sentidos marcha contra um grande centro populacional. Os personagens são convocados para ajudar a deter os invasores.
Mais sobre o trabalho do Jacó aqui.

3 Blá blá blá!:

Paulo disse...

Achei muito bom, mas no lugar de cura completa que acha de remover maldições?
Meus jogadores se preparem pois morto-vivo vai ser um perigo daqui pra frente.

Astreya disse...

Muito bacana! Eu lembrei do Saga dos Cavaleiros do Zodíaco, que ficava arrancando os sentidos do pobre Ikki. Um poder deveras interessante e pode colocar o grupo em situações curiosas!

Dragões do sol Negro disse...

hehehe a Astreya ta economizando comentário...
Olha o post dos pequenos hauahauha

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes