quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Diário do Jogo Online do Clérigo 6


Saudações caríssimos leitores deste humilde blog. Hoje vos trago o sexto diário de campanha da nossa mesa online aqui do blog. Este log se refere à oitava sessão, que foi bem marcante por ser a separação do grupo. Confira também os diários anteriores: parte 1parte 2parte 3parte 4parte 5.
____________________________________________________________
A partir de agora teremos duas mesas online em dias diferentes mas com histórias paralelas. Na sexta-feira jogarão Guilherme e João Manuel, cada um interpretando um mago o.O No sábado jogarão Felipe e Jaime, respectivamente um cavaleiro e um ranger (que terão o apoio do clérigo Iantumal, um PdM.

A separação do grupo deu-se devido a problemas técnicos (leia-se horários incompatíveis) mas veio bem a calhar com a história. Entenda como tudo aconteceu.

Luz no fim... da caverna!
Os personagens saíram da caverna após terem dado conta dos bullywugs e perceberam que estavam cerca de um quilômetro ao sul da entrada da gruta, onde haviam visto Miriam pela última vez. Muito apreensivo e ansioso para saber o que havia acontecido à sua mãe, Athos pediu que os outros se apressassem, mas Leonam ainda estava ferido e se locomovendo com certa dificuldade. Decidiram que Cerdic iria na frente com Athos, enquanto Iantumal ajudaria Leonam, devendo todos se encontrar na gruta.

Subindo por uma colina recoberta de árvores, Cerdic e Athos chegaram até o fim da floresta e avistaram a entrada da gruta uns 50 metros à frente. O coração de Athos quase parou quando percebeu o cenário de destruição que cercava o local e as grandes marcas que fogo nas pedras e árvores.

Miriam
Chegando mais perto, os dois viram Miriam caída ao chão, perto da entrada da gruta. Ao abaixar-se para ajudá-la, Athos viu que aquela era sua mãe, mas estava terrivelmente mudada. Era como se ela tivesse perdido uns 10 kilos (para uma mulher que pesava cerca de 50 kg, isso era demais). Ela estava murcha, com uma aparência ressequida e com roupas chamuscadas.

Athos tomou-a em seu braços e Miriam abriu os olhos levemente, deixando cair umas poucas lágrimas de um choro silencioso e interior. Sua expressão era de angústia, medo e horror.

Sem saberem exatamente o que havia acontecido, Athos tentou encontrar alguma planta medicinal que pudesse ajudar sua mãe, enquanto Cerdic olhava ansioso para a mata esperando a chegada de Iantumal e Leonam, que chegaram logo em seguida.

Athos suplicou que o clérigo ajudasse sua mãe, e Iantumal ajoelhou-se ao lado dela fazendo uma prece silenciosa a Rhîw, Senhor do Frio. Ao terminar ele se levantou e, olhando para Athos com pesar, disse que ela estava além de suas capacidades. Ela não tinha nenhum ferimento comum, mas o clérigo sentira que um "pedaço" dela estava faltando, um pedaço de sua alma, e que ela precisava ser tirada de lá.

O círculo mágico
Leonam então lembrou-os de que os cavalos talvez ainda estivessem vivos e, enquanto falava isso, notou algo estranho ao redor do corpo de Miriam: havia uma espécie de círculo com desenhos de algumas runas e símbolos arcanos, porém alguns já haviam sido pisados e não estavam completos.

Ele chamou a atenção dos outros afirmando que aquilo era magia, e de um tipo muito poderoso. Um ritual havia sido realizado lá, e Miriam teria sido a vítima. Leonam pegou um pergaminho e pena, e copiou os resquícios ainda visíveis daquele estranha círculo.

A separação do grupo
Após algumas deliberações, decidiram que Cerdic deveria ir até a casa de Miriam verificar se os cavalos estavam vivos. Embrenhando-se pela floresta, Cerdic chegou até a casa e encontrou os cavalos no estábulo, um pouco assustados mas vivos. Após acalmá-los, levou dois deles até a entrada da gruta para ajudar no transporte de Miriam até sua casa.

Quando retornou para junto do grupo, decidiram que seria melhor levar Miriam primeiramente até a casa, e que alguém deveria ir rapidamente até Parthceredir buscar a carroça de Iantumal que havia ficado no estábulo. Nesse ponto Leonam fez uma declaração que mudaria a história da campanha. Disse ele:

[Leonam] Muitas coisas tem acontecido em minha vida desde o ataque à torre de meu mestre, Kelben. 

Quando fomos atacados por esse elemental de fogo na noite passada, eu senti um enorme pavor e me lembrei, pouco antes de desmaiar, que havia visto o rosto daquela criatura no meio das chamas que consumiram a torre de meu mestre. 

E agora a mesma criatura, invocada por alguém muito poderoso, vem atrás de Miriam. Por coincidência eu estava presente nas duas situações.... e isso me fez ponderar e refletir sobre algo que me deixou perturbado...

Meu mestre Kelben foi destruído por esta criatura, e sua mãe sofreu uma mutilação... espiritual eu diria. Tanto Kelben quanto Miriam eram muito poderosos e grandes conjuradores. Eu espero que entendam minha posição nesse momento. 

[Cerdic] Para que o velho maldito iria querer a morte deles? Aniquilar a concorrência?

[Leonam] eu gostaria de saber Cerdic... e por isso acho que preciso me separar de vocês momentaneamente

[Cerdic] Mas para onde irás? Que pretende, Leonam?

[Leonam] Num primeiro momento quero ir a Parthceredir encontrar-me com Argalad e depois... talvez tentar, junto com ele, encontrar Willard, o mentor de meu mestre.

Ficou acertado então que Iantumal iria com Leonam até Parthceredir, onde buscaria sua carroça enquanto Leonam se uniria ao mago Argalad que estava se recuperando no templo. E assim terminamos a 8ª sessão, após duas horas de jogo, com a despedida dos amigos e uma transição suave para uma nova estrutura na história.

1 Blá blá blá!:

HawensCloud disse...

Boa tarde

Pertenço ao veículo de comunicação Chapters, uma revista online de
Games, RPG, anime, musica, cinema, tecnologia e etc.

Revista: www.chapters.com.br


Gostaria de entrar em contato
fernando@chapters.com.br

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes