sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Serafin traz a Carroça? ou Inicio do fim 28



Salve meu príncipe que belo dia para continuar a nossa saga, sim nossa, pois passo ela a vós com o conhecimento dos grandes heróis que vivem em nosso mundo para que possa inspirá-lo no caminho correto.

Meu príncipe, eles criaram uma cidade e batizaram de Aurora como já havia dito, não era ainda um cidade mas já estava tomando forma de cidade.

Quando eles retornaram da jornada contaram a Back uma passagem sombria em que eles precisaram matar um demônio de sombras e isso deixou Back preocupado, pois onde há um demônio outros virão e Back formou uma comitiva com Smirnoff, Alice, Argull e mais um ou dois, Na cidade ficaram os outros sobre a liderança de George.

Então enquanto descansavam e tentavam proteger a cidade, Amrod decidiu construir uma taverna ou taberna? Não sei ao certo qual o nome mais apropriado, mas junto com alguns Gnolls começaram a cortar arvores para o empreendimento, com Amrod e o trabalho dos Gnolls a taverna jamais seria construída. Pois eles realmente não sabiam o que estavam fazendo.

No entanto a nossa vida é regida por um emaranhado de conhecidencias ou destino decida como melhor devemos nomear o efeito das coisas acontecerem sempre da melhor forma possível para que algo seja concretizado.

Eis que na vila chega um comboio de carroças, na verdade duas carroças apenas, propriedade de Serafin d`Ouro do Mundo e Junto com ele um hábil nobre elfo conhecedor das construções com sua equipe de serviçais.

Assim teve inicio a construção da maior de todas as tavernas que já existiu até hoje, um misto do luxo élfico com a robusteza dos povos simples. Não cheguei a conhecer essa taverna e nem sei se realmente ficou pronta mas isso é outra história.

Nem tudo é beleza e alegria na nossa história meu príncipe e heróis também cometem erros mesmo com as melhores das intenções. Eles não eram diferentes.

Com a chegada de Serafin a mando dos clérigos de Porthi, pois receberá dinheiro e as carroças para ir fazer a sua viajem de ampliação de negócios. Serafin ainda não sabia mas ali iniciava a sua tão sonhada fortuna. Pois foi o Elfo que reconheceu o anel que Serafin utilizava na verdade era uma chave para o submundo.

Enquanto Amrod e os outros tentavam convencer Serafin a dá-los o anel ou mesmo vender eles não perceberam a chegada de 3 homens vestidos em túnicas brancas feitas com muito esmero e capricho. Verdade que estavam sujas e eles aparentavam cansados no entanto isso era da viajem.

Para que vós entenda meu príncipe, Aurora era a única cidade livre do Deus único e estava se tornando famosa, os clérigos de Porthi não poderiam deixar, nas mãos de Serafin a tarefa que cabia a eles investigar a cidade, esse era o preço que cobraram de Serafin para custear a sua viajem, mas não poderiam responsabilizá-lo por essa tarefa. Então mandaram mais 3 Clérigos com duas ou três horas de diferença para o mesmo destino.

Os clérigos tinham uma tarefa simples e objetiva, fundar um templo do Deus Único.

Paullo o clérigo bondoso com o olhar calmo e feições agradáveis, caminhou pela cidade até encontrar o local exato para o templo, como de costume com exceção a Porthi o centro da cidade como em todas as outras, assim depositou a jóia mágica ao solo.

Mas ele gostava de Serafin e não teve outra opção em seu coração que não fosse avisá-lo :

- Saia da cidade até o anoitecer e não para até estar longe o suficiente. Disse o calmo Paullo.

A jóia não se infiltrara no chão como Tripa Seca pensou e sim flutuou acima das cabeças das pessoas e permaneceu lá até a noite.

Quando os clérigos em Porthi realizavam o ritual do templo.

Esse ritual através da Jóia cria um templo mágico onde ela apresenta sua localização com a ajuda, divina em minutos esta levantado o templo, praticamente brotando da terra.

 Serafin sempre gostou muito de dinheiro e de fortuna, mas não deixaria pessoas morrerem em vão e decidiu avisar Amrod e George, eles interpretaram com uma traição, pois acreditaram que eles havia trazido os clérigos e com o tempo correndo deixaram isso para resolver depois.

Correram até o líder dos Gnolls o Cavaleiro Negro e assim mais um pacto foi fechado o cavaleiro negro os ajudaria a combater o deus único por nada mais nada menos que 100.000 peças de ouro por ano e assim foi feito.

A noite enquanto George e Amrod escondiam o povo dentro das ruínas, podiam ouvir lá fora o estrondo longo e duradouro do templo brotando do chão através da nuvem de poeira e terra que cercavam a cidade.

Durou alguns minutos e George saiu para ver o que acontecia, montado em seu tigre, a poeira cobria seus olhos suas narinas quem já passou por uma tempestade no deserto Pó de Estrelas sabe do que falo a terra ou areia pode cobrir um homem e matá-lo soterrado ou como já vi afogado na própria poeira.
George sobreviveu e pode vislumbrar a Magnitude que brotava do chão o esplendor em volto em poeira e relâmpagos.

Após a poeira baixar estava lá o templo do Deus Único imponente negro como a noite, belo como uma jóia negra.

-Não meu senhor nem todos os templos são negros assim, mas esse era.
O Deus Único havia chegado a Aurora com todo seu brilho. Mas as portas do templo estavam lacradas as janelas também, descobriram depois o que aconteceu, o Cavaleiro negro combateu contra o templo todo o tempo mas não conseguiu derrotá-lo apenas o lacrou, nda poderia entrar ou sair.

Então eles puderam ouvir o romper de tambores e passos de soldados, que entravam cidade a dentro, era o exercito Gnoll, liderados pelo cavaleiro negro, que berrou por George e Amrod:

- Fizemos um pacto! Eu os ajudaria não combateria por vocês! Nosso pacto esta finalizado. Não devo a vocês mais nada. Virou as costas e foram embora.
Amrod não entendeu o que aconteceu, mas Tripa Seca com todo o seu conhecimento de batalhas entendeu que isso fora uma intimidação o exercito estava ali apenas para mostrar que eles eram moscas, não gostou e não fez nada.

Observaram o templo durante horas testaram algumas magias e algumas armas em suas paredes mas nada foi feito nenhum arranhão foi causado. Amrod então foi até o Cavaleiro Negro mais uma vez e mais uma vez um tributo de reis foi cobrado.

Agora o Cavaleiro exigiu duas virgem. Sei meu rei que isso é um absurdo mas Amrod e Tripa Seca desesperados com a ajudo do novo elfo que chegara a vila, viajaram até o povoado mais próximo e mais uma vez os demônios ganharam espaço pois compraram duas meninas com promessas falsas, mentiras sorridentes e dinheiro saqueado das ruínas entregando assim o tributo ao Cavaleiro Negro.

Através de um ritual ancião o cavaleiro negro ofereceu as meninas em beneficio próprio e com os poderes concedidos por elas foi até o templo, com o sangue das meninas desenhou no chão em volta do templo, runas e símbolos arcanos, banhou-se no restante do sangue, proferiu as palavras certas na hora certa.

Um grande buraco no chão foi aberto e engoliu o templo, podiam ouvir os berros dos clérigos que estavam dentro do templo aprisionados. Então o cavaleiro sorriu. E como chegou foi embora. Naquela área nada mais cresceu.
Enquanto o cavaleiro saia, Tripa foi definhando por dentro seu espírito foi sendo consumido, ele não morreu, mas também não mais sorriu.

- Desculpe meu príncipe, mas essa não é uma história triste não na verdade ela é feliz na verdade, mas você deve julgar o que acha.

Serafin foi ameaçado, tentaram coagir ele para ele entregar o anel, mas ele sempre sobreviverá as mais desfavoráveis situações e essa era uma delas. Voltou para Porthi.

Lá em Porthi foi visitado pelo Sacerdote Supremo do Deus único e desse dia para frente, passou a morar na cidade alta deixando a cidade baixa apenas como uma lembrança de um tempo que não voltaria mais, assim ele pensava...

Desculpe meu príncipe, fui muito longe, na minha narrativa, deixarei o restante, para o nosso próximo encontro.

11 Blá blá blá!:

Diego disse...

hahahaha.
Olhe pra cima pequeno gafanhoto, e os loucos cavucando o chão que nem cachorro.
"eu juro que vi a pedra por aqui".

Dragões do sol Negro disse...

ahuahauauah pois é hauahuahua

Eder disse...

Muito engraçado!
Pelo menos a pedra cresceu e conseguimos ver exatamente onde ela estava hasuhasuhauhshuas

Eder disse...

Ok, hj a tarde estava no trabalho e sem muito tempo para ler. Agora li com calma.

POW, BARDO! E o esfrega do Druida na cambada que ofereceu as virgens ao cavaleiro negro? Que o cavaleiro negro berrou com o Druida vc lembra!

Amrod, Tripa e George disse...

Vocês que vem de longe
Obedeçam a quem é de outra raça.

Fildo disse...

Opa.. essa fala é minha!

Dragões do sol Negro disse...

Desculpa nobre Eder, mas como assim gritou!?!
Eles ofereceram duas virgens para Rituais Profanos em templos pagões na sua jurisdição e bem você gritou com ele!?!
Essas discussões os bardos no decorrer do tempo acabam por perder os transcritos.
Mas as cenas em questão eu vi com meus próprios olhos.
Ass: Bardo Cego

Eder disse...

É Back, Aurora tá virada num salseiro: virgens sacrificadas, deus cobra constrói templo, deus oculto protege a aldeia em troca de ouro...

Oh, céus, oh, vida!

O Iluminista disse...

Mas não se desespere amigo A luz irá Brilhar!

Eder disse...

hasuhasuhasuh

Szigdrifa (Alice) disse...

Cavaleiro negro? Qdo voltarmos vamos fazer alguns furos nesse senhor pra deixar a luz divina ENTRAR!!!

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes