sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Gemeas de aço Parte 6

Você finalmente havia chegado ao ponto onde deveria esperar a boa vontade dos deuses em lhe ceder um grifo para domar. Um cavaleiro de vestes escuras o seguia pelos ultimos dias de viagem e possivelmente foi quem lhe chutou montanha a baixo para a morte. Por sorte, ou por uma má sorte não tão grande, você não fraturou muitos ossos e descobre que está dentro de uma caverna, com um teto altíssimo, e uma fenda com 30 metros de espessura.







Com majestosos 3 votos, 2 vencem com a opção: seguir adiante na caverna


É possivel notar que é dia, pelos raios de luz que adentram pela fenda na parte superior do local, e desta vez a chance mais provável de sobrevivência não foi sua escolha. Só restou você, sua espada e a escuridão inexplorada. Um cheiro de enxofre lhe aguça a curiosidade e te faz seguir adiante pelo imenso salão de rocha. Estranhamente você percebe uma anêmica luz pela sua frente, e a medida que prossegue, o cheiro aumenta e o medo surge para morder sua espinha e arrepiar seus cabelos. Adiante há uma espécie de fornalha, liberando um calor intenso e uma fumaça intermitente. Perto dela há uma enorme quantidade de peças reluzentes, que a essa distância não são identificáveis. Como se o clima já não estivesse obscuro e tenso, a poucos passos você percebe uma forma humana, que na verdade é uma armadura amassada e com rombos enormes e com um padrão assustador de bocarra. Alguns poucos ossos ainda não viraram pó, e o esqueleto era de um humano grande. Com o andar de um felino, você se adianta para perto da fornalha, pois parece ser um lugar menos amedrontador. A idéia de voltar para a fenda e tendar escalar pelas paredes não lhe parece nada mal agora, mas tempo é o que não lhe falta nesse momento. O cheiro de enxofre perto da fonte de calor -- que você ja identificou não ser nada parecido com uma fornalha -- é insuportavel, te provoca tosse e uma súbita náusea. Enquanto tenta se afastar você escorrega numa das peças reluzentes para então alegremente descobrir que são moedas, barras e hastes em prata e ouro, pedras brilhantes, castiçais, e... pela reunião de todas estes itens, juntamente com os restos mortais de um homem logo atrás, uma história vem a sua cabeça. Uma história de seres gigantescos, com escamas, que cospem fogo e mastigam reis e heróis. 

Voluntariamente você olha para o que antes achava que era uma fornalha (que em sua totalidade parece ter quase dois metros), desta vez com mais atenção, e para seu infortúnio, os intervalos entre um jato de fumaça e outro agora lhe pareciam muito bem uma respiração pesada e imponente.



Um enorme olho se abre, acima de você.

E algo se fecha atrás, em você.



( ) Se jogar entre as moedas e esconder-se

( ) Golpear o monstrengo com sua espada

( ) Correr. muito.
( ) Alguma idéia? Eu sei que tem. Comente!

5 Blá blá blá!:

Eder disse...

"Não entre em pânico" (Guia do mochileiro das galáxias)

Agora, com muita paciência brade com voz bem postada e clara:

"Amo você! Somos uma família feliz. Com um forte abraço e um beijo te direi: meu carinho é pra vc!"

ashuhasuhuahsuhas

Matheus disse...

Golpear o monstrengo com sua espada

Sangrar esse bicho feito um porco, no melhor estilo da dupla Kaloi e Krepe

Paulo disse...

MOEDAS, MOEDAS e MOEDAS!

lich disse...

corre negada XD

Dragões do sol Negro disse...

Não entre em panico!?!?! Se leu se leu como assim não entre em pânico!!! Socorrooooooooo
Me jogo com a espada e golpeio as moedas!
Não, eu me golpeio e jogo as moedas!
Não, eu corro muito, corro muito mermo!

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes