domingo, 17 de outubro de 2010

aos Dragões do Sol Negro!

Camus


O fino vento do leste sopra sobre uma placa enferrujada, de dentro da cozinha vem o cheiro de carne assada os barris de carvalho misturam seu odor à cerveja tornando a taberna do Cisne um local aconchegante.

“Cisne mais cerveja!”

“E como pretende pagar bardo?”

As moedas rolam até o taberneiro que as “morde” conferindo o ouro delas.

“Pouco me importa sua desconfiança Cisne desde que a carne esteja fria e a cerveja quente como sempre foi por aqui, tendo um teto para dormir é tudo que quero...”

O bardo se prepara para escrever mais um épico vivido por outro aventureiro, com o pedaço de carne ainda fumegando ao seu lado e uma caneca de cerveja que mais lembra um pequeno barril, ele molha a pena na tinta e assim da vida a tudo aquilo que hoje só é lembrado na idéia de um povo e assim mais um dia termina em Phorti e o Mundo de Poldengran da mais um giro na infinita multi esfera do mundo do RPG.

O que podemos dizer desse mundo? Um local onde muitos seres passaram alguns ficaram e outros foram, mas todos marcaram suas histórias?

É um local que tem com certeza o tamanho da imaginação de seu dono Fernando, talvez imaginação essa só superada pela vontade de sempre estar perto de seus amigos e sua capacidade de fazer novos amigos.

É o mês de aniversário do blog “Dragões do Sol Negro” e muitos vem aqui pegar dicas , combos e outras coisas sobre o mundo do D&D ou mesmo do RPG, mas o que poucos sabem é a história por trás da história o porque que o blog carrega esse nome...

Em Poldengran há um grupo de homens, nem heróis nem vilões, podendo lutar pelos dois lados conforme o grupo votasse, esses eram os “Dragões do Sol Negro”.

Para se tornar um Dragão, não era só fazer uma ficha, em 3 anos de jogos consecutivos e direto toda a sexta feira tive apenas um personagem que adentrou as portas desse castelo, Percival Long O’Donell, ladino 14 duelista 3 e um dos que mais perto chegou de bater a lenda de que ninguém alcançava nível 20 naquela mesa.

Mas ele não adentrou por causa do nível, para ser um Dragão do Sol Negro, você tem que merecer, tem que lutar, tem que fazer e acima de tudo por incrível que pareça suas melhores chances de entrar lá reside do fato de você NUNCA tentar entrar.

Sendo o que for ou indo aonde for um Dragão Do Sol Negro jamais esquece, andam por ae no mundo real enfrentando os monstros das contas e do capitalismo e vivendo a vida com a mesma bravura que seus personagens viveram

São pessoas que jogaram em épocas e tempos diferentes, hoje a gama de profissionais que jogaram esse mundo é imensa abrangendo de dentistas a humoristas, com idéias diferentes mas sabendo que um dia já viveram aventuras juntos.

Isso torna todos eles parte de uma grande família, uma família que pode ter a idade que for jamais vai esquecer.

Ao construir seu blog de RPG, o Fernando, doravante chamado por esse bardo aqui de Fino ou Finolis, não teve duvidas ao colocar o nome e acrescento eu, não poderia ter escolhido nome melhor para esse blog do que Dragões do Sol Negro.

Hoje esse blog possibilita a esse proto historiador, matar saudades do tempo em que ele tinha tempo de rolar dados e torrar uns míseros e escassos reais em coca colas e salgadinhos para passar a noite na casa de um amigo e seu personagem lá em Poldengran, almejando construir uma história naquele mundo, mas eu não percebi que mais que um personagem construindo sua história eu a minha história de amizade e vida que levo dentro de meu coração para todos os lugares.

Esse blog então me representa um portal para aquele tempo, um local que visito para matar saudades e como na mesa, conheço pessoas, como a Atreya e o Nobre Odin, ou me possibilita rever meus amigos como o Medunha, Igor, Bomber o Chitolino Vitor entre tantos outros, pessoas que me ajudaram e marcaram minha vida, sem contar o criador do blog, que não criou para ele, mas sim pensando em todos seus amigos, o Fino.

Meu primeiro narrador dizia que o mundo em que se rege é o reflexo do caráter do narrador, Poldengran e os Dragões por mais maléficos que se apresentassem, eram em seu intimo como seu criador, uma pessoa de aspecto assustador mas com um coração nobre e bondoso para ajudar e aconselhar aqueles que a procuravam sempre. (um dia contarei como conheci o finolis hehehe vai render boas risadas).

É isso fica aqui não só meu registro desse aniversário, mas também meu registro de gratidão por tudo que esse local sempre fez por mim, esperando ver sempre Poldengran crescer, através do blog ou qualquer outro meio, só posso desejar paz e sucesso para que Os Dragões do Sol Negro vão cada vez mais longe, levando as histórias de muitos consigo, inclusive a minha e eu como um Dragão do Sol Negro também devo fazer a minha parte, afinal de contas isso também é meu e um Dragão do Sol Negro Jamais esquece.

Um grande abraço a todos fico por aqui.

Camus BloodStorm Havora

2 Blá blá blá!:

Dragões do sol Negro disse...

Opa valeu Camus, Muito obrigado

Igor disse...

Não é exagero,
O que o Camus escreve,
Sutil é o desespero,
à que sua saudade se deve.

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes