quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Regras da Mesa Ataque Cantado

Hoje, trago para você as regras que usamos na nossa mesa, se você vai usar ou não você decide, mas como idéia para a sua mesa acho que serve.
Para ilustrar pedi ajuda ao Bruxo Argull.



Regras de mesa com Argull E Mnar Part1


O combate!

Falaremos hoje de como funciona o ataque em nossa mesa. Uma opção a mais na hora do combate. Para ilustrar usaremos dois dos nosso personagens Argull, o Bruxo e Mnar, o Urso.

Pelo livro do jogador onde pegar pegou, ATAQUE VS CA, ainda pode-se acertar partes especificas caso seja critico, É meio estranho, existe alguma sugestões como no Vale RPG ou mesmo um material escrito pelo Mr Red no Guardião do Templo , muito legais para o uso do combate e como melhorar ele, nós aqui utilizamos assim:

Imagine que no combate você deseja cortar o pescoço do seu oponente com apenas um golpe. Pelas regras do livro do jogador isso só é possivel se você usar uma arma vorpal.
Nós utilizamos uma regra vinda dos tempos do Ad&d que era o Called Shot ou Ataque Cantado, claro que precisamos modificar ela um pouco:

Divida o corpo do personagem em 5 partes, perna esquerda, perna direita, braço esquerdo, braço direito e cabeça. (Sim o tronco fica fora pois acreditamos que mirar um ataque não seria no corpo onde usamos a CA do oferecida pelo livro do jogador.)

Entenda pernas como toda ela até os pés e o mesmo vale para os braços com as mãos e a cabeça com o pescoso.

Agora nos bonificamos, com CA essas partes pois dentro de um combate elas estão em movimento e é mais facil tirar um braço da frente de uma espada que a barriga.

Então fica:

+8 para os braços

+8 para as pernas e

+10 de CA para a cabeça.

Os olhos são um quesito a parte veremos junto com armas de ataque a distância.

Tá é baixo mas soma-se a armadura que esta utilizando e mais os bonus normais já ficou um pouco mais dificil acertar.

Ainda podemos acrescentar o bonus de cobertura de +4 para as partes que estão atrás da armadura um elmo um luva ou mesmo um gorgolete.

Ex: em um combate onde, Mnar, O urso contra o Bruxo Argull, rola-se a iniciativa, Mnar Ganha a iniciativa, e começa Argull O bruxo tem CA 12 (10 bonus normal +2 destreza), Mnar tem ataque com o machado 12, seria um acerto automático, mas Mnar não quer matar o Bruxo e sim Apenas cortar-lhe a mão para que ele não possa conjurar uma magia, então para a mão soma-se +8 no CA para acertar a mão (CA20).


Mnar rola o dado e tira incríveis 9 somados com seu ataque que é 12 (9+12=21) acertando assim a mão de Argull, então rola-se o dano 1d12 +12 resultado incríveis 24 pois Mnar tirou 12 no D20.

Agora é que o bicho pega. Divida os pontos de vida máximos (Nunca os pontos de vida que ele tem no momento) da criatura ou do personagem por 5 esse é o ponto de vida que cada parte do corpo tem, caso seja dado em um unico golpe dano suficiente para reduzir os pontos de vida a zero essa parte do corpo foi decepada, esmagada, arrancada, em fim não está mais funcionando.

Precisamos agora ver se foi dano suficiente para decapitar a mão de Argull que tem 50 pontos de vida, utilizando a nossa regra ele tem 10 (pontos de vida total divididos por 5) pontos de vida na mão, então Mnar decapitou a mão de Argull.

Lembre-se cura não regenera partes do corpo perdidas apenas regeneração veja esse artigo no vale sobre (vale) sobre cicatrização é bem legal. Nós utilizamos aqui a regra que cicatriz sempre fica só some com regeneração.

O livro do Mestre tem alguma sugestões para dano em partes especificas Página 27

Agora é a vez de Argull, que sem uma mão não sabe fazer magias sem gestos ficando assim impossibilitado de conjurar alguma coisa, tenta atacar com a lança, mas como está sem uma das mãos ele segura a sua Lança apenas com uma sofrendo assim -2 para todos os ataques, então ele ataca, Mas irritado decide atacar o pescoço de Mnar tem 15 de CA (10 bonus normal + 4 peitoral de aço + 1 destreza), como Argull tentou acertar o pescoso dele ele ganha +10 de CA (25), Argull tem ataque 6 com a lança, mas como está sem uma das mãos recebe o penaltie de -2 ficando assim com ataque 4, impossivel acertar o pescoso de Mnar, mas ele insiste e Rola inacreditáveis 20 no D20 uma ameaça de sucesso decisivo, Então rola mais uma vez o dado e pimba tira um 19 somando com seu Ataque que agora é 4 ele erraria mas ele tem o talento que concede +4 para a confirmação do critico(19+4+4=27) ele confirma o critico, em Mnar acertando o seu pescoço com a lança.

Então ele dá o dano, 1d6+0 pois Argull não tem bonus de força, multiplicado por 2, rola o dado e tira incriveis 6, totalizando 12 (6x2=12).


Mnar tem 121 pontos de vida, divididos por cinco dá 24,2, arredondados para baixo fica 24 pontos de vida por parte especifica. Ou seja não teve sua cabeça arrancada.

Acertando um critico na cabeça, ou pescoço, ou mãos, ou braços, ou pés, ou pernas, mas não arranca, bem usamos aqui a regra de quando um critico acerta alguém algo de ruim acontece, pois um critico é a personificação da porrada perfeita.

Então caso seja um ataque cantado no pescoço como no exemplo, alguma sequela ficou, rolamos um teste de resistência fortitude CD 15, caso não passe ele poderia ficar Mudo o corte foi profundo que danificou suas cordas vocais, ou ele continua sangrando (até ser curado) a margem de um ponto por round, um teste da pericia cura CD 15 resolve. Ou o personagem pode não conseguir se alimentar direito sofrendo assim -2 em todas as suas ações devido a fome.

O mesmo vale para uma perna ele poderia ter seu movimento reduzido a metade, poderia ter seus testes de saltar reduzidos ou ser impossibilitado de dar cargas em combates, em fim com o tempo e bom senso você descobrirá o que é mais indicado para cada ocasião.

Então Mnar rola o seu teste de Fortitude e tira 20 no dado um sucesso incontestável, independente de sua constituição, não sofrendo posteriormente pelo ocorrido.

Cuidado pois essas regras tornam o combate mais mortal ainda, favorecendo assim os Monstros.

Semana que vem iremos falar das magias utilizando os ataques cantados, aguardem e comentem esse poste pois a sua opinião, pode gerar novas idéias e com isso melhorar a nossa mesa e o seu jogo.

11 Blá blá blá!:

Eder disse...

Não sei não, mas o Argull não me parece muito confortável com o abraço do Mnar!?!?!
hehehehe

Fora isso, maneira a ideia do tema. Já usamos na mesa e para personagem com boas possibilidades de golpes pode dar ótimos resultados. Pra quem não tem também pode, afinal, sempre existe o 20 XD.

Mr Red disse...

Ae galera, valeu pela citação. Eu já utilizei um sistema para ataques mirados IDÊNTICO ao de vocês no quesito bônus de CA e pontos de vida. A diferença era quanto à amputação. Reduzir os PVs de um membro a zero significaria inutilizá-lo, mas não provocar amputações. Neste caso, a amputação seria possível se, em um dano localizado, o atacante reduzisse os PVs totais do jogador a zero.

Quanto a amputações, minhas considerações são bem simples. Personagens possuem muitos PVs devido à suas capacidades de autopreservação. Se um PJ for colocado em uma condição onde não se pode defender-se, uma arma cortante que teria capacidade de amputar um membro (como espada ou machado) conseguiria realizar esta tarefa em um único turno. Armas menores (adagas, machadinhas) precisariam de mais golpes. Lógico, uma machadada no braço, sem direito de defesa seria como um Golpe de Misericórdia localizado, para o braço hehehe.

Em todo caso, muito bom o sistema Cantado, ótima sacada de vocês.

Igor disse...

(Mais um personagem sem mão uhahahha)


Argull:

Po Mnar, era de mentira só pra ilustrar, como o Fino disse! Agora sou maneta ¬¬

Vou transformar seus dedos em vinas!

o Clérigo disse...

Legais as regras, gostei mesmo. E pra quem não sabe, vina é salsicha no Paraná, rsrsrsrs.

Dragões do sol Negro disse...

Paraná, não, só aqui em Curitiba, é o fenomeno BomBril, regional hauahauhauahuh
Que bom que gostaram das regras que nós utilizamos aqui semana que vem tem mais, sobre o ataque cantado. Argull e Mnar estarão de volta hehehe

Diego disse...

Essa regra era massa, uma adaptação de Gurps acho, até o Vitor aparecer com um mago decepador de cabeças, hehehe, true strike neles.
Eu tinha muito problemas com essa regra, ela vicia os pcs, e quando o mestre resolve que um npc vai usar um ataque cantado dá uma choradeira.
Mas acho que o Mnar achou uma solução para esses problemas que deve vir nos próximos posts.

taf39 disse...

A ideia do Ataque Cantado sempre foi otima, por colocar um pouco mais de realidade no game. Para ter ainda mais realidade, o que poderia ter era uma regra pra defesa, pois penso que um monge que nao use armas, e ira se defender desse ataque na cabeca por exemplo pode colocar a mao na frete, e dai.. como ficaria!?!?!
Mas realmente essa eh uma regra da casa que funciona muito bem, e com true strike (+20 no acerto fica melhor ainda!)
Com relacao ao 20, sempre eh possivel por um acaso do destino um campones abater um rei, Davi e Golias! ++

Igor disse...

O monge ja tem um bonus de deflexão que é pra isso hehe

Dragões do sol Negro disse...

Além é claro de tbm ter a defesa do ataque que é vc usar o seu ataque contra o do adversário para defender o ataque dele com o seu. mas isso é assunto para um outro tópico. hehehe

Kics rpg sesi sanjo disse...

Muito interessante!!!
usahusaushahsaush
Na próxima vez que eu for jogar vou tentar decapitar alguem
kkkkkkkkkkkk

Dragões do sol Negro disse...

Converse antes com o Matheus se ele deixa vocês usarem essa regra pois é uma regra da mesa e não esta nos livros.
E muito cuidado pois os NPCS tambem podem usar hehehe.
Mas se ele liberar saia cortando cabeças por ai e mostre pra eles porque o guerreiro é terrivel no combate. hauahauha

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes