segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Jornada ao inferno - 5ª Parte

Olá pessoal. Hoje, nosso colega Jacó Galtran (do blog http://contosderpg.blogspot.com), traz a continuação da história "Jornada ao Inferno". Para quem não pegou o começo, a primeira parte está aqui, a segunda aqui, e a terceira aqui, e a quarta aqui.




Jornada ao inferno - Parte 5

"O chicote se enrolou na imensa espada bastarda. Um brusco movimento tentou puxá-lo para desarmar seu portador. Mas Quebra-Ossos segurou forte sua arma e, aproveitando o embalo, foi com sua cabeça de encontro ao nariz inimigo. Um soco com a outra mão fez o diabo cair.
Três chicotes aparados pela cimitarra. O druida mudo continuava nauseado pelos miasmas e escarrou. O muco foi de encontro ao olho esquerdo de um dos diabos, e este se desequilibrou. Um giro súbito de Vandavhy fez sua espada se desvencilhar das armas inimigas. Seguiu-se uma sucessão de ataques infrutíferos e defesas bem sucedidas. Flexionou seu corpo para frente,e e durante o curto período de tempo em que os inimigos buscavam soltar suas armas, concentrou-se e sentiu a mão esquerda formigar. Tocou o rosto de um oponente e despejou sobre ele uma peste mágica. A criatura caiu para trás, rugindo e segurando o rosto. Os demais se afastaram não querendo ser vítimas da mesma doença. O diabo atingido se recompôs em poucos instantes. Vandavhy teria praguejado, se pudesse.
Tartayy reuniu o que lhe restava de energia arcana, gesticulou ensandecidamente, pronunciou algo em voz baixa, e olhou para cima. Viu o horizonte infernal ser tomado por nuvens cinzentas e fechou os olhos. Franziu o cenho quando uma chicotada violenta rasgou a carne de sua perna direita, mas não abandonou a compenetração. Ergueu a mão esquerda para o céu e, num súbito movimento, a direcionou para seus adversários, levando até eles furiosos relâmpagos oriundos do céu mágico. Os seis foram acertados em cheio pelas descargas elétricas. Um não levantou mais.
E assim seguiram-se longos minutos de confronto incessante e selvagem. Quebra-Ossos ignorava os cortes violentos que sofria na pele e golpeava ferozmente em quase todas as direções possíveis, ora com a espada, ora com o cotovelo. Não se deixava dominar pelo calor do combate a ponto de atacar desordenadamente; ao contrário, explorava cada desatenção inimiga, aproveitava cada momento que um diabo baixava a guarda para agredir com virulência, e então se aproveitava do atordoamento de quem era golpeado para golpear de novo e de novo. Entre cusparadas, cotoveladas e lâminas de aço, os seres infernais foram caindo. Os que tentaram levantar foram dizimados por poderosa magia invocada por Tartayy. Vandavhy foi coadjuvante no confronto e ficou feliz com o papel: mais alguns minutos frente a frente com aqueles monstros e logo a urina escorreria farta por suas virilhas.

- Tirando a ilusão barata no começo, até que não usaram truques sujos – Quebra-Ossos sorriu. Tentou cuspir, mas não tinha mais saliva – Pena que não eram grande coisa.
- Esses ferimentos... – Tartayy apontou para as marcas de chicotadas que todos eles tinham em seus corpos – Eles podem não estar doendo tanto, mas ninguém sabe se aqueles chicotes não tinham veneno, ou alguma propriedade mágica. Melhor prevenir.

O mago concentrou-se e despejou nos amigos e em si uma magia de cura ou proteção.

- Tudo bem, tudo bem – Quebra-Ossos brincou – Chega dessa frescura.
- Levamos sorte por serem apenas seis – o mago encerrou sua conjuração e olhou demoradamente ao redor – Mas essas criaturas habitam aqui aos milhões. Se quisermos achar quem transportou aquela cidade para cá, precisamos evitar, ao máximo, mais confrontos.
- Não gostei dessa parte.

***

Tartayy estudou com cuidado os corpos dos diabos vencidos após terem se escondido dentro de uma caverna bastante intimidadora. Observou a fisionomia, a anatomia, e procurou se familiarizar com aquela fisiologia alienígena tanto quanto possível. Quebra-Ossos cuspia e clamava por ação e violência. Vandavhy procurava disfarçar o medo olhando para a entrada da caverna e empunhando com força sua cimitarra. Não quis confidenciar a ninguém, mas alguns ferimentos da recente batalha ainda doíam bastante. Além disso, ficava incomodado com a presença dos cadáveres tão perto deles. Perguntaria a seu colega mago se eles realmente estavam mortos e se não havia chance deles voltarem a vida de repente. Mas não podia.

- Faremos o seguinte – Tartayy fez um sinal para que Vandavhy se aproximasse antes de continuar – Para sermos mais discretos, vamos nos disfarçar de diabos.
- O que? Vamos usar truques?
- Não se trata de usar truques, Quebra-Ossos.
- Não precisamos disso – o guerreiro interrompeu, balançando a cabeça em negativa.
- Precisamos circular com a maior liberdade possível aqui. Quando acharmos o verdadeiro inimigo, aí sim, deixaremos de lado os subterfúgios.

Quebra-Ossos continuou não concordando. Cuspiu com maior intensidade.

- Só sua aparência mudará. Sua força sem par, sua habilidade única, sua capacidade incomum de destroçar os inimigos, essa não mudará.

Quebra-Ossos sorriu.

- Poderei usar minha espada? – o guerreiro questionou.
- É melhor não. Levantaria suspeitas. Nossos inimigos são inteligentíssimos. Mas acho que não te fará falta. A força de seus punhos é suficiente para assassinar quem quer que te desafie.
- Isso é verdade – o guerreiro olhou para os músculos e sorriu ainda mais.

Tartayy e Vandavhy sorriram discretamente um para o outro. O mago pôs a se concentrar o máximo possível, não sem antes pedir a seus colegas que não o interrompessem, nem o desconcentrassem.
“Tudo dará certo”, pensou o druida. “Disfarçados, vamos vasculhar esse mundo até achar o verdadeiro inimigo. Quando acharmos, nos revelamos e lutamos. Depois que vencermos, Tartayy nos tirará daqui com uma de suas magias esquisitas.”

Parecia um bom plano.

Mas, de repente, o chicote estalou. Dessa vez, eram mais de vinte. E não eram ilusão."

Continua dia 06 de setembro.

9 Blá blá blá!:

o Clérigo disse...

Só continua dia 06/09??? Tá loco! Mas tá muito legal, espero que alguém sobreviva a esses 20 diabretes.

Dragões do sol Negro disse...

hehehe é uma semana sim outra não hehehe.
O Jaco está realmente de parabéns! Esse conto ta muito legal!

Astreya disse...

Sim, a pena de Mestre Jaco sempre produz algo de qualidade. Sensacional!

Odin disse...

Torno minhas tuas palavras, Lady Astreya!

E deixo aqui registrado um abraço aos nobres amigos Mnar e bardo cego!

Igor disse...

haha! bem bacana, to curtindo.

Eder disse...

Muito bacana mesmo, espero até dia 6 então pra continuar :(

Eder disse...

Que isso Fino, que índice é esse do contos no blog???
cara, ficou muito massa. Ficou tesão pra carai. FANTÁSTICO.

Tu é o cara.

Dragões do sol Negro disse...

Opa e ai valeu velho obrigado, então esse negócio dos lonks pros contos é que o pessoal esta com dificuldades para acessar os contos, estão se perdendo, então eu coloquei para contos acima de 4 postes, depois talvez coloque para os demais.
Ainda não está ideal mas...

Como eu volto a ressaltar! Os comentários com criticas e e-mails do mesmo tipo só ajudam a melhorar o blog e não não temos medo delas! ahuahauahu

Dragões do sol Negro disse...

opa tava esquecendo pessoal votem na gente! mesmos ! ahuahauha
É só clicar na lateral do blog no peixinho ou nesse link incrivel aqui:
http://www.peixegrande.com.br/voto/votar.asp?key=5540704B5B011B5349450914504A4E08055B4A47F3D6DF829E0D55EA7A9BAD3AE409

hehehe e como sempre fazemos(nunca fizemos porque não ganhamos ainda) se tiver premiação depois distribuimos aqui no blog. hehehe

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes