sexta-feira, 13 de agosto de 2010

As Crônicas de Elgalor - Capítulo 7: Matar ou Morrer (parte 1)

Boa tarde pessoal, as nossas parcerias estão dando frutos confiram aqui a continuação do Conto/Crônica, enviada pelo nosso parceiro o Halls of Valhalla, se quiser saber mais sobre eles entre no blog deles clicando aqui.
Semana que vem tem mais As Crônicas de Elgalor.

As Crônicas de Elgalor - Capítulo 7: Matar ou Morrer (parte 1)
Charoxx puxou novamente o ar e liberou seu terrível sopro de fogo sobre todos os aventureiros. Mesmo Aramil e Astreya, que estavam um pouco mais afastados, foram atingidos. A proteção mágica conjurada por Aramil resistira bem a este primeiro ataque, mas o mago sabia que o que restara de sua magia era suficiente para proteger a todos apenas do calor insuportável da imensa caverna. Mais um sopro, e estariam todos mortos.



Oyama, Hargor, Erol e Bulma avançaram ainda mais, prontos para atacar. Contudo, no momento em que o sopro de fogo cessou, Aramil gritou:

- O olho do dragão!

Hargor sentira uma forte emanação de magia ao redor do dragão, mas não pudera identificar sua origem. Agora, estava claro. Dolorosamente claro.

O olho direito de Charoxx brilhou, e uma corrente de relâmpagos rompeu na direção dos aventureiros. O raio central atingiu Bulma impiedosamente, quase derrubando a poderosa bárbara, e outros cinco raios menores rumaram ferozmente em direção aos outros heróis.



Com grande agilidade, Oyama e Erol esquivaram-se dos raios, e avançaram em direções opostas, tentando flanquear o dragão. Astreya conseguiu se desviar um pouco, o suficiente para reduzir o impacto total do raio. Já Hargor e Aramil, foram atingidos em cheio. Apesar da dor, o clérigo anão conseguiu se recobrar rápido devido à resistência física de seu povo e avançou. Aramil foi arremessado cerca de dez metros para trás por causa do impacto, e por pouco não perdeu a consciência.



- VOU ARRANCAR SUAS ENTRANHAS POR ISSO! - gritou Bulma se levantando em um frenesi completamente ensandecido. Tamanha era sua fúria, que ela esqueceu de pegar a lança matadora de dragões no chão e avançou com seu machado.

Erol golpeou Charoxx com a lança, que emitiu um brilho dourado quando atingiu as espessas escamas do dragão. Charoxx uivou de dor, não tanto pelo ferimento, mas sim por causa da poderosa magia contida nas lanças. Do outro lado, Oyama golpeou com toda sua força, mas seus punhos não foram capazes de romper as escamas do dragão abissal. Neste momento, Hargor e Bulma se aproximaram para entrar na batalha.



Ajudando Aramil a se levantar, Astreya ergueu seu cajado de cura e entoou um pequeno encantamento:

- Que as forças divinas da vida e da luz curem nossos ferimentos.

O cajado branco brilhou e todos foram envolvidos por uma aura branca. Neste instante, todos sentiram a dor diminuindo e seus ferimentos serem levemente curados



- Isso não vai funcionar – disse Aramil tenso, pegando seu cajado dourado.

- O que você está falando, Aramil? – perguntou Astreya aborrecida com o pessimismo do mago.

- O olho direito de Charoxx – respondeu o mago ainda sentindo os efeitos do relâmpago que o atingira – ele está drenando nossa proteção Elemental, e ao mesmo tempo protegendo o dragão contra quaisquer magias que nós lancemos. Posso superar a resistência natural que Charoxx tem contra magias, mas não a resistência que o olho lhe confere. Se não o anularmos, não teremos chance alguma.



Hargor se posicionou ao lado de Oyama, e Bulma golpeou ferozmente o abdômen do dragão com seu machado, fazendo um corte profundo nas resistentes escamas de Charoxx, apesar do dragão não esboçar nenhuma feição de dor. Oyama desferiu mais uma série de socos que poderiam pulverizar rochas, mas que não tiveram efeito algum contra a couraça de Charoxx.

- Você está fazendo cócegas, monge maldito – zombou Charoxx chicoteando Oyama com sua poderosa cauda, enquanto avançava com suas garras sobre Erol, estranhamente ignorando Bulma.

Estando próximo de Oyama, o clérigo anão usou sua lança na cauda de Charoxx. O dragão mais uma vez uivou de dor, mas ainda assim foi capaz de derrubar tanto o monge quanto o anão com a força de seu golpe. Como navalhas, suas garras atingiram Erol, que mesmo se protegendo com a lança, teve o peito quase rasgado pelas garras de Charoxx e tombou com a força do impacto. Bulma avançou novamente, e o dragão abissal sorriu.



Quando a bárbara estava perto o bastante, Charoxx virou a cabeça velozmente e cravou suas presas no corpo da bárbara, que agora urrava de fúria e dor. Veterano de muitas batalhas, o dragão sabia que se tentasse morder Hargor ou Erol, eles usariam as lanças para frustrar o ataque, e ainda golpeariam o interior de sua boca com as armas de haste. Feito extremamente difícil de se conseguir quando está se empunhando um machado ou espada. Charoxx levantou sua cabeça e pressionou novamente o corpo de Bulma entre suas presas afiadas.



- Pelo menos estamos livres de mais um sopro por enquanto – disse Aramil enquanto concentrava energia em seu cajado.

- Vou fingir que não ouvi isso! – respondeu Astreya furiosa pegando seu arco de prata.

- Acerte uma flecha no olho direito – disse o mago ignorando a fúria de sua companheira – mesmo que pegue apenas de raspão já será o suficiente.

“Mesmo de raspão”, resmungou Astreya para si mesma enquanto retesava seu arco mágico. Erol poderia fazer um disparo como este, mas ela...

- Não é hora para ter dúvidas – disse Astreya enquanto mirava – como Oyama disse, agora é matar ou morrer. Nisso, a barda disparou, e uma flecha prateada composta de pura energia rasgou o ar.



E atingiu em cheio o peito de Charoxx, deixando um pequeno chamuscado nas escamas do dragão.

- Vocês meio-humanos não conseguem fazer nada direito, não é? – disse o mago elfo.

- Aramil... – respondeu Astreya rangendo os dentes e preparando mais uma flecha.

3 Blá blá blá!:

Camus disse...

Uhn, não é por nada mas acho que agora os aventureiros tão encrencados, acertar o peito de um dragão e "chamusca-lo", não é algo saudavel a nenhum bardo...

acho que agora ela deve praticar a "arte marcial suprema" dos bardos e ladinos....

100 metros rasos, afinal o melhor jeito de esquivar de um golpe é não estando lá quando ele é desferido :)

"Fair fights are for suckers"^^

Bom conto continue assim quero saber o que aconteceu com o meia humana (tomara que ela "erre" e "acerte sem querer" esse mago elfo xD

Astreya disse...

Realmente estar a frente de um dragão não é uma situação fácil para uma barda... uma luta com um dragão nunca é justa de qualquer maneira, não para os aventureiros que lutam com ele. Quanto a Aramil, aprendi a lidar com seu jeito, mas confesso que muitas foram as vezes que quis errar algo de propósito para acertá-lo...

Camus disse...

Olha eu tinha uma tecnica infalivel pra isso, se quiser eu te passo a formula minha cara barda, principalmente que meio elfo é minha raça favorita

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes