quinta-feira, 22 de julho de 2010

Gemeas de Aço Parte 2



Árvore de cobras

O plano que transformaria sua vida e a de Ídaco falhou. Além disso, os viajantes pensando que vocês eram pequenos ladrões sem lar (o que não deixa de ser verdade) decidiram levá-los consigo dentro de um baú -- com uma fresta improvisada com correntes e calços -- para discipliná-los com a construção de um templo. A garota que segue com eles parece ter simpatizado com sua pessoa e por mais que esteja confuso, irritado e com certos receios, você resolve lhe dizer seu nome quando ela o pergunta.



-"Fergus"...

- Esses caras foram uns grossos, e vocês, bem inocentes. Se quiser se dar bem, tem que seguir regras "Fergus" - disse a garota à meia voz, antes que você continuasse - Eles têm muita comida, três refeições por dia para ser mais específica. O homem que decidiu trazê-los se chama Pavus e é um clérigo do deus onipotente, eu estou junto com ele, estamos disfarçados de comerciantes para não atrair muita atenção e em menor contingente para viajarmos mais rápido. - então fez uma pausa, pois falou muito rápido e esqueceu de respirar- Ele vai lhe ensinar a ler caso ainda não saiba, lhe mostrar o caminho iluminado... Deixar seu corpo e sua mente fortes. Tudo o que precisa é seguir regras.

- "Fergus"! 'Num dá ouvidos pra ela não! 'Cê lembra do jeito que capturam iscravo lá nu gueto, lembra não?! 'Vamo trabaiá quinem dois jumento e apanhá ingual dois cachorro perebento! - Interviu Ídaco, com seu linguajar inculto.

Antes que você se pronunciasse, Nara continuou:

- Imagino que estejam bem desorientados, cheios de duvidas e medos. Edgar é intransigente, mas só esta preocupado com nossa segurança, afinal... facas como a suas podem ser muito perigosas - riu-se Nara, olhando ironicamente em seus olhos e nos de seu amigo.



Tal escárnio lhe doeu, por mais acostumado com o desdém que as pessoas de Valadar demonstram em relação as suas tentativas incessantes (e falhas) de mudar de vida.

Ela percebeu, mas não se constrangeu. Foi intencional.

- E você, procure aprender a ler um livro e melhorar esse seu vocabulário xucro - Disse Nara à Ídaco, virando-se para ir dormir, decepcionada por um de vocês não lhe dar ouvidos e caluniar - Estamos a menos de duas semanas de Porthi, é lá que a casa de Deus será construída - e então sumiu na penumbra da noite estrelada.



Na manhã seguinte, algo quebrou a rotina.

A carroça parou num solavanco repentino; Os viajantes se agitaram e suas vozes transmitiam espanto.

- Malditos pagãos! Malditos sejam! - gritou Pavus, mesmo com o nó na garganta que se fez quando ele viu a seguinte cena:

Em um vistoso cedro, foram dependurados um padre e alguns homens vestindo armaduras com o símbolo do "Deus único", e em suas testas um brasão em formato circular, retratando toscamente um dragão dentro de um aro imitando o sol.

- Pobre missionário! Isso deve ter acontecido após ele converter alguma vila. Essa tal aliança dos dragões do sol negro ainda nos trará inúmeros problemas. E estão agindo sem parar! - continuou Pavus, tentando explanar a situação para os que ainda não tinham nenhuma noção concreta sobre o que acabaram de ver. Sem se dar conta de que vocês também ouviram. Aliás, fora a garota, eles mal lembravam que vocês estão dentro do baú.



____

breve descrição do cenário:

Há mais de uma década, um grupo de aventureiros incautos libertaram um deus muito poderoso, que havia sido preso nas entranhas da terra pelos outros deuses.



Sua imagem é de uma serpente;

Sua mandíbula se chama "mentira"...

E seu veneno "corrupção"...



Rapidamente pois agentes a converter para si a fé de um continente inteiro e para tal, foi erguido um exército inquisitor. Mas não um exército comum. Não mesmo. Aprisionou todos os deuses, e eliminou todos os seus fiéis seguidores em potencial.



Mas existem forças que unidas podem segurar esta serpente pela língua, e golpear sua cabeça com o martelo.

___



O cheiro de corpos em decomposição lhe era familiar, assim como gritos de garotas. Você começa a pensar que por onde quer que você vá, isso sempre vai se repetir.

- Vamos nos desfazer de todas as cargas desnecessárias, precisamos acelerar a viagem ao máximo - vocês escutam.

- Ma... mas... estas coisas todas são para o templo, não podemos falhar - e esta é a voz de Pavus, trêmula, vacilante.

- As rodas irão rachar no primeiro buraco que passarmos em uma velocidade maior - ouve-se a voz de Edgar

E após discutirem o que seria ou não levado, vocês se aliviam por não serem deixados a esmo.



Agora o clima é de perseguição, o pessoal da caravana está extremamente amedrontado com o que vêem ha menos de um dia em encalço. É possível ouvir comentários de que já se pode ver os muros de Porthi, mas que dificilmente vá dar tempo de chegar antes que os perseguidores os alcancem.

As suspeitas se confirmaram.

A aproximação dos cavaleiros é rápida e implacável; De dentro do baú ouve-se silvos de flechas e grunhidos de dor, mas a carroça não para.

- Atire nos cavalos Anirod! Nos cavalos! - exclama uma voz grossa e imponente

- É Amrod! A-M-R-O-D! - exclama uma segunda voz, não tão grossa e imponente, antes que você sinta o solavanco do tombar da carroça.

Com a queda as correntes e calços colocados no baú se rompem. Ao tirar a cabeça para fora, você se depara com a seguinte situação:

De um lado, vinte cavaleiros reposicionando-se. Algumas figuras estranhas, outras mais comuns. Um deles comenta algo do tipo "vejam aqueles, são apenas crianças!" com uma voz tranquila e amistosa.

Ao virar-se para o outro lado, você vê os enormes portões de Porthi começando a se fechar, arqueiros em seus postos. Pavus, a garota e mais um sobrevivente correm e lhes chamam com gestos com os braços, eles estão em pânico.

Ao olhar para Ídaco, você percebe que ele está inconsciente, com um ferimento na cabeça advindo da queda brusca do baú.

O que você faz?



( ) Coloca Ídaco no ombro e tenta seguir Pavus

( ) Que se ferre Ídaco, seguir sem ele até Pavus

( ) Tenta carregar Ídaco em direção à relva na margem da estrada, para esconderem-se

( ) Coleta um pouco do sangue de Ídaco, passa na propria testa, finge-se tonto e cai disfarçando-se de inconsciente.

( ) Pega uma espada na cintura de um corpo qualquer, e se fecha dentro do baú novamente.

8 Blá blá blá!:

Eder disse...

Uia! Amrod fazendo parte da história... Sobre a votação, que se dane Ídaco, sigam em frente...

Saint Cuttenberg disse...

Cada um tem o que merece!
Para frente e avante!

Astreya disse...

Eu tentaria levar Ídaco junto comigo...

Igor disse...

para junto ao padre ou ao mato na beira da estrada Astreya?

Astreya disse...

Acho que ele seguiria o padre, até porque imagino que estaria curioso por causa da garota...

Astreya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Igor disse...

bom, ja que ninguem se empolgou e mcomentar, vou ver se dou uma encurtada na historia...

vou continuar então...

2x1 sobre deixar ou não Ídaco

ninguem disse...

Eu estava ocupado então desculpa eu comento.

Eu acho que Deveriamso levar Ídaco.

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes