sábado, 24 de abril de 2010

Idéias ao vento...

Idéias ao vento...
Por Igor.




Sempre quis montar/jogar uma campanha personagens de classes o mais homogêneas possíveis, tal como uma aliança de cavaleiros, um grupo de arqueiros, uma guilda de ladinos, ou uma ordem de clérigos missionários... Acho uma idéia bacana, então ai vai...



Guerreiros: inúmeras possibilidades, sugerido para grupos iniciantes, onde se pode explorar aventuras em um grupo de mercenários, realizando missões atrás de missões, ou também guerreiros em busca de renome, buscando desafios contra dragões ou exércitos poderosos. Não é tão entediante quanto parece, Quando o mestre é original com detalhes, até salvar princesas é divertido e interessante.



Arqueiros: pode-se seguir a mesma linha dos guerreiros, mas funciona melhor em mundos sem magia. Sentir a parte medieval real ao defender um quenium, uma torre, ou até mesmo um muro pode ser intrigante. Ainda achando chato? Que tal começar a contar entre os players, quem é que mais acerta os alvos mais difíceis?



Ladinos: aí está uma ótima oportunidade para estimular um roleplay de alto nível. Intrigas, Traições, briga por poder, humilhações, riqueza... Não consigo lembrar de muitos filmes ou livros com um tema parecido, só algo como Piratas do Caribe, 12 homens e um segredo, filmes de saqueadores de banco no far-west e etc...



Clérigos e paladinos: um grupo com as duas classes seria um ótimo tema para uma campanha mais sobrenatural, com ligações interplanares, demônios e anjos, ou até algo mais pós-apocaliptico, em terras tomadas por demônios anciões. Pode-se explorar de temas sobre templários, tanto na ascensão, ou nos tempos áureos, quanto a sociedade secreta muitos anos depois.



Magos: Também uma linha de campanha bem original e empolgante. Uma casta de magos ambiciosos e orgulhosos. Buscas por grimórios arcaicos podem parecer um pouco manjadas, mas com um bom empenho em detalhes pode fazer uma simples campanha durar anos!



Bárbaros (+ rangers e druidas): Ah, os bárbaros! Uma fascinante campanha tribal, com muita ação e risadas por todas as horas de jogo. Não há porque seguir o estereótipo de que todos os bárbaros são ignorantes, um bom exemplo disso, são os vikings, que foram tachados como monstros saqueadores, mas que em seu tempo, eram alfabetizados, fervorosos na religião e tomavam banho todas as semanas, ao contrário de muitos do oeste europeu que tomavam banho cinco vezes por ano no máximo. Ou então os celtas, consideravelmente desenvolvidos quanto a cura com ervas, cultura e guerra, em relação com os povos vizinhos mais ‘civilizados’.



Cavaleiros: um extra, porém não menos interessante. Lanças, escudos e cavalos, uma aliança entre nobres com finalidades políticas que pode revolucionar as capacidades de estratégia dos players.

1 Blá blá blá!:

Matheus disse...

http://guerrasdraconicas.files.wordpress.com/2010/02/elfo.jpg

Confira aki porque orelhas de elfos flambadas são uma especiaria na casa dos Dragões do Sol Negro!!!

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes